Escolha as suas informações

Zelensky, UE e NATO saúdam vitória da Ucrânia na Eurovisão
Mundo 3 min. 15.05.2022
Festival da Eurovisão

Zelensky, UE e NATO saúdam vitória da Ucrânia na Eurovisão

Kalush Orchestra
Festival da Eurovisão

Zelensky, UE e NATO saúdam vitória da Ucrânia na Eurovisão

Kalush Orchestra
Foto: Jens Büttner/dpa
Mundo 3 min. 15.05.2022
Festival da Eurovisão

Zelensky, UE e NATO saúdam vitória da Ucrânia na Eurovisão

Lusa
Lusa
O presidente ucraniano acredita que o país conseguirá organizar o festival no próximo ano, apesar da situação de guerra. A Ucrânia ganhou o Festival Eurovisão da Canção 2022 com 631 pontos atribuídos ao tema 'Stefania', interpretada pelo grupo Kalush Orchestra.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, saudou esta noite a vitória do seu país no festival da Eurovisão, ligando-a à invasão russa com a frase "a nossa coragem impressiona o mundo, a nossa música conquista a Europa”.

A frase foi escrita na sua página na rede social Facebook, pouco tempos depois da vitória da Ucrânia no 66.º Festival Eurovisão da Canção, realizado em Turim, Itália.

A banda ucraniana Kalush Orchestra, cuja canção 'Stefania' mistura hip-hop e música tradicional, obteve 631 pontos, à frente do britânico Sam Ryder com "Space Man" (466 pontos) e da cantora espanhola Chanel com "Slo Mo" (459 pontos).


Ucrânia vence a Eurovisão
Portugal ficou em nono lugar com a canção 'Saudade, Saudade', de Maro.

Na atuação desta noite, a banda “Kalush Orchestra” pediu ajuda para o seu país bem como para a cidade de Mariupol e para a siderurgia Azovstal, na sequência da invasão russa.

"Por favor ajudem a Ucrânia, por favor ajudem Mariupol, por favor ajudem Azovstal", disse o líder do sexteto, Olenh Psink, numa mensagem em que apelava à intervenção internacional para ajudar o grupo de soldados barricados na fábrica, o último reduto da resistência ucraniana na cidade portuária.

Kalush Orchestra
Kalush Orchestra
Foto: Jens Büttner/dpa

Líderes europeus e da NATO felicitam Ucrânia pela vitória na Eurovisão  

Responsáveis europeus e da NATO felicitaram a Ucrânia pela vitória no Festival da Eurovisão da Canção, destacando que o resultado mostra o apoio público ao país invadido pela Rússia.


Festival Eurovisão da Canção 2022
Eurovisão detetou irregularidades nos votos da segunda semifinal
Não foi detalhado, porém, quais foram as irregularidades e se afetaram o resultado da semifinal em que se qualificaram Suécia, Bélgica, República Checa, Azerbaijão, Polónia, Finlândia, Estónia, Austrália, Roménia e Sérvia.

“Gostaria de dar os parabéns à Ucrânia por vencer o Festival da Eurovisão da canção. E isto é algo que não digo de forma ligeira porque ontem [sábado] vimos o enorme apoio público de toda a Europa e Austrália pela sua coragem”, referiu hoje o vice-secretário-geral da NATO, Mircea Geoana.

Destacando que “a canção é magnífica”, Geoana, que falava no início do segundo dia de uma reunião informal dos ministros dos Negócios Estrangeiros da aliança atlântica, em Berlim, precisou que a mensagem a enviar “é que os russos lançaram a guerra mais brutal e cínica desde a Segunda Guerra Mundial”.

Através do Twitter, a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, também deu os parabéns aos vencedores, sublinhando o apoio de toda a União Europeia.

“Hoje [ontem] à noite a vossa música ganhou o nosso coração. Estamos a comemorar esta vitória em todo o mundo. A União Europeia está convosco”, escreveu a Von der Leyen.


Este ano todas as esperanças estão concentradas em Maro, com o tema "Saudade, Saudade".
As histórias mais incríveis da Eurovisão
Com honrosa exceção de Salvador Sobral e um 6º lugar de Lúcia Moniz, o historial das participações portuguesas no Festival Eurovisão da Canção são uma espécie de psicose depressiva. No entanto, histórias não faltam. Eis algumas ocultas.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, também recorreu ao Twitter para dar os parabéns à Ucrânia pela vitória, aproveitando para desejar que a edição do próximo ano do Festival da Eurovisão “possa ser realizado em Kiev, numa Ucrânia livre e unida”.

Presidente ucraniano acredita que país conseguirá organizar a Eurovisão

Apesar da situação de guerra não ter um fim rápido à vista, como disse na sexta-feira o ministro da Defesa ucraniano, Volodymyr Zelensky mostrou-se confiante que o seu país irá receber o concurso no próximo ano. "Pela terceira vez na sua história. E eu acredito - não pela última vez", acrescentou.

"Tudo faremos para que um dia os participantes e convidados" encontrem então a cidade de Mariupol, atualmente devastada pelos ataques e palco de confrontos no complexo siderúrgico de Azovstal, "livre, pacífica, restaurada", sublinhou Zelensky.

"Obrigada por ganharem @Kalush.official e a todos os que votaram em nós! Claro, o nosso acorde vencedor na batalha com o inimigo não está longe", escreveu ainda o líder ucraniano.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de três mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A ofensiva militar causou a fuga de mais de 13 milhões de pessoas, das quais mais de seis milhões para fora do país, de acordo com os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Por causa da invasão a Rússia foi excluída do Festival Eurovisão da Canção.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas