Escolha as suas informações

Varíola dos macacos. OMS prevê aparecimento de mais casos
Mundo 22.05.2022
Doença viral

Varíola dos macacos. OMS prevê aparecimento de mais casos

As erupções cutâneas são um dos sintomas desta doença viral.
Doença viral

Varíola dos macacos. OMS prevê aparecimento de mais casos

As erupções cutâneas são um dos sintomas desta doença viral.
Photo: Getty Images/iStockphoto
Mundo 22.05.2022
Doença viral

Varíola dos macacos. OMS prevê aparecimento de mais casos

Redação
Redação
A doença foi detetada em 12 países nos últimos 10 dias e existe uma tendência crescente de infeções. O Luxemburgo não regista nenhum caso.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou hoje esperar que os casos de varíola dos macacos continuem a aparecer, uma doença que foi detetada nos últimos dez dias em 12 países. 

No Luxemburgo não foi ainda detetado nenhum caso da doença, mas vigilante, o Ministério da Saúde emitiu ontem um comunicado apelando aos residentes com sintomas suspeitos que se dirijam ao Centro Hospitalar do Luxemburgo. Até ao momento foram registados mais de 80 casos desta infeção viral em 12 países, nomeadamente em Portugal e nos vizinhos do Grão-Ducado.


Pessoas com sintomas suspeitos de varíola dos macacos devem dirigir-se ao CHL
O Ministério da Saúde declara que não há casos da doença no país, mas emitiu este sábado um alerta para que as pessoas se desloquem ao hospital CHL em caso de sintomas suspeitos.

O foco e rota de contágio ainda não foram estabelecidos.

"A situação está a evoluir de tal forma que a OMS acredita que haverá mais casos de varíola a serem identificados à medida que a vigilância for estendida em países que não são endémicos", refere a nota epidemiológica da organização.

As informações atuais indicam que quem tem maior risco de contágio são aqueles que têm contacto físico próximo com alguém que está infetado e apresenta sintomas.

Num comunicado recente, a Organização Mundial da Saúde apelou às pessoas para se manterem informadas, através de fontes fiáveis, como as autoridades de saúde nacionais, sobre a extensão do surto na sua comunidade (se houver), sintomas e prevenção.

Advertiu ainda que a resposta à doença deve focar-se nas pessoas infetadas e nos seus contactos próximos e lembrou que “estigmatizar grupos de pessoas por causa de uma doença nunca é aceitável”.

“Pode ser uma barreira para acabar com um surto, pois pode impedir as pessoas de procurarem os cuidados de saúde, e levar a uma propagação não detetada”, alerta.


Varíola dos macacos. Até os cientistas estão perplexos com propagação da doença
"Todos os dias acordo e há mais países infetados", diz virologista da OMS. Já foram confirmados 80 casos em 11 países. Especialistas falam em surtos atípicos na Europa mas tranquilizam que "risco é baixo para a população em geral".

 Portugal contabiliza 23 casos de infeção pelo vírus Monkeypox segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS), que aguarda resultados relativamente a outras amostras.

Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O número de casos confirmados de Monkeypox subiu para 96 em Portugal, anunciou esta segunda-feira a Direção-Geral da Saúde (DGS), adiantando que os doentes se mantêm em acompanhamento clínico e estão estáveis.