Escolha as suas informações

Vídeo. Idosos infetados com Covid-19 apedrejados na Andaluzia
Mundo 26.03.2020

Vídeo. Idosos infetados com Covid-19 apedrejados na Andaluzia

Vídeo. Idosos infetados com Covid-19 apedrejados na Andaluzia

AFP
Mundo 26.03.2020

Vídeo. Idosos infetados com Covid-19 apedrejados na Andaluzia

A província de Cádiz recebeu os 28 idosos com pedras, explosivos e contentores em chamas.

Até a Polícia Científica entrou em cena para investigar o que restou dos engenhos explosivos arremessados, durante a noite, contra as instalações que recebem provisoriamente os 28 idosos diagnosticados com Covid-19, transferidos esta terça-feira de um lar de idosos em Alcalá del Vale para uma residência em La Línea de la Concepcíon, na província espanhola de Cádiz.

Sem mãos a medir, as autoridades foram chamadas a vários pontos da cidade para controlar as chamas dos contentores incendiados pela população que reagiu em fúria à medida adoptada pelo governo regional da andaluz e pelas autoridades de saúde para conter a propagação do vírus nos lares de idosos. 

Num sinal claro de que não são bem-vindos, os pacientes foram recebidos com uma chuva de pedras na principal entrada da cidade, onde dezenas de pessoas tentaram travar, sem êxito, a entrada das ambulâncias. Um carro chegou, inclusivamente, a atravessar-se no caminho da caravana que seguia com escolta policial. O El Mundo conta que os ocupantes, um homem de 25 e outro de 32 anos, foram detidos. 

"Remar na mesma direção"

Se inicialmente o autarca Juan Franco se juntou ao coro de protestos contra a decisão do governo regional, os incidentes obrigaram o líder do município a demarcar-se dos atos de violência. 

Embora mantenha que a transferência deveria ter sido "comunicada de outra forma" para "evitar o alarmismo", o presidente da câmara garante que os atos de violência praticados por "um grupo de pessoas indesejáveis e sem cérebro" não representam a cidade. Acrescenta que "num momento de emergência nacional, todos devemos remar na mesma direção". 

Em gesto de repúdio, um grupo de moradores organizou-se nas redes sociais para promover um aplauso coletivo de solidariedade com os idosos que estão a recuperar sob escolta policial. 

Os elementos da Polícia Nacional não têm ordem para abandonar os portões do lar improvisado. Depois da recepção violenta, dezenas de pessoas voltaram a interromper a quarentena e concentraram-se nas imediações da residência para protestar contra os "intrusos". 


 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.