Escolha as suas informações

Único tratamento aprovado para a covid-19 custa mais de 2000 euros
Mundo 2 min. 01.07.2020

Único tratamento aprovado para a covid-19 custa mais de 2000 euros

Único tratamento aprovado para a covid-19 custa mais de 2000 euros

AFP
Mundo 2 min. 01.07.2020

Único tratamento aprovado para a covid-19 custa mais de 2000 euros

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
O antiviral Remdesivir já foi aprovado pela Agência Europeia do Medicamento como a primeira terapêutica eficaz para doentes infetados graves que necessitam de ventilação.

Chama-se Remdesivir e, para já, revelou ser o único capaz de tratar os doentes mais graves infetados pelo novo coronavírus. Por isso, foi aprovado pela Agência Europeia do Medicamento (AEM). 

O preço? 348 euros por frasco, durando o tratamento cinco dias, e sendo necessários seis frascos. Contas feitas são 2089,35 euros, no total para tratar cada paciente, segundo informa Daniel O’Day, presidente e CEO da farmacêutica Gilead Sciences, que desenvolveu o antiviral Remdesivir, numa carta aberta publicada no site da empresa. 

Em Portugal, este tratamento já está a ser realizado em alguns “doentes graves”.

De acordo com o comité científico da AEM esta terapêutica injetável revelou-se positiva em pacientes com “pneumonia que necessitam de oxigénio suplementar”, ou seja, precisam de ventilação. A administração só pode ser feita nos hospitais.

A toma do Remdesivir consegue reduzir em seis dias o tempo de recuperação dos doentes graves. Enquanto os tratados com este fármaco recuperam em média em 12 dias, os outros doentes infetados demoram mais seis dias a recuperar, indica um estudo do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos EUA. No caso de doentes menos graves, o medicamento não revelou qualquer benefício.

Preços diferentes segundo as economias

O preço de 2084, 35 euros estabelecido pela farmacêutica é “um preço fixo” para que todos os países desenvolvidos possam ter "acesso amplo e equitativo" ao Remdesivir, "num momento de necessidade global urgente", declara o presidente da farmacêutica na sua carta aberta. Este será o valor a pagar por “todos os governos” destes países “em todo o mundo onde o Remdesivir é aprovado ou autorizado para uso". Contudo, nos países em vias de desenvolvimento o preço do tratamento será substancialmente mais baixo", pois a farmacêutica "celebrou acordos com fabricantes de genéricos", para que todos os países tenham acesso ao fármaco, anunciou o presidente da Gilead.

Por outro lado, às seguradoras privadas dos EUA “serão cobrados 463 euros por frasco”, adianta Daniel O’Day.

Para poder ser comercializado no Luxemburgo e nos outros países da União Europeia, a Comissão Europeia tem de dar autorização o que deverá acontecer em breve. Até lá, e nos casos mais urgentes, o tratamento pode ser disponibilizado ao paciente, através de uma autorização especial da AEM.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas