Escolha as suas informações

UE financia pela primeira vez compra de armas e anuncia novas sanções
Mundo 27.02.2022
Guerra na Ucrânia

UE financia pela primeira vez compra de armas e anuncia novas sanções

Guerra na Ucrânia

UE financia pela primeira vez compra de armas e anuncia novas sanções

Foto: AFP
Mundo 27.02.2022
Guerra na Ucrânia

UE financia pela primeira vez compra de armas e anuncia novas sanções

Lusa
Lusa
Uma sanção inédita da UE: decidiu proibir no espaço comunitário “a máquina mediática do Kremlin”, para banir “a desinformação tóxica e nociva” lançada por Moscovo na Europa. Lukashenko, “cúmplice neste ataque vicioso contra a Ucrânia” será alvo de um “novo pacote de sanções”.

Pela primeira vez, a União Europeia vai financiar a compra e entrega de armas e equipamento militar a um país sob ataque, a Ucrânia, anunciou hoje a presidente da Comissão Europeia, que revelou também novas sanções à Rússia.

Numa declaração à imprensa na sede do executivo comunitário, em Bruxelas, Ursula von der Leyen anunciou também “o encerramento do espaço aéreo da UE a aeronaves de propriedade russa, registadas ou controladas pela Rússia”, incluindo os jatos privados dos oligarcas, que “não poderão aterrar, descolar ou sobrevoar o território da UE".

Von der Leyen acrescentou que os 27 estão a trabalhar para “proibir os oligarcas russos de utilizarem os seus ativos financeiros nos mercados europeus” e anunciou outra sanção inédita da UE, que decidiu proibir no espaço comunitário “a máquina mediática do Kremlin”, para banir “a desinformação tóxica e nociva” lançada por Moscovo na Europa.

  Este é “um momento de viragem”, disse Von der Leyen

“A Rússia Today e a Sputnik [detidas pelo Estado russo], bem como as suas filiais, já não poderão espalhar as suas mentiras para justificar a guerra de [Vladimir] Putin”, disse.

Classificando este como “um momento de viragem”, a presidente da Comissão adiantou que a UE prepara-se também para sancionar “o outro agressor nesta guerra, o regime [bielorrusso] de [Alexander] Lukashenko”, que é “cúmplice neste ataque vicioso contra a Ucrânia” e que será alvo de um “novo pacote de sanções”.

Estes anúncios ocorrem pouco antes do início de uma videoconferência de ministros dos Negócios Estrangeiros da UE, naquela que é a quarta reunião da semana dos chefes da diplomacia dos 27 para discutir a resposta à invasão da Ucrânia pela Rússia.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas