Escolha as suas informações

UE denuncia: Aumento da violência no leste da Ucrânia viola acordos de paz de Minsk
Mundo 12.08.2015

UE denuncia: Aumento da violência no leste da Ucrânia viola acordos de paz de Minsk

Desde o início do conflito h cerca de 18 meses, há centenas de famílias que ficaram sem casa no sudeste da Ucrânia

UE denuncia: Aumento da violência no leste da Ucrânia viola acordos de paz de Minsk

Desde o início do conflito h cerca de 18 meses, há centenas de famílias que ficaram sem casa no sudeste da Ucrânia
AFP
Mundo 12.08.2015

UE denuncia: Aumento da violência no leste da Ucrânia viola acordos de paz de Minsk

A recrudescência da violência no leste da Ucrânia constitui uma violação dos acordos de paz de Minsk, considerou segunda-feira o serviço diplomático da União Europeia (UE).

A recrudescência da violência no leste da Ucrânia constitui uma violação dos acordos de paz de Minsk, considerou segunda-feira o serviço diplomático da União Europeia (UE).

“A nova escalada da violência (…), resultado de vários ataques contra zonas controladas pelo Governo hoje e na noite de 10 de agosto em Starognativka, constitui uma violação do espírito e da letra dos acordos de paz de Minsk”, indica um comunicado do serviço para a política externa da UE, referindo-se ao acordo assinado na capital da Bielorrússia entre o executivo de Kiev e os separatistas pró-russos.

A Ucrânia ameaçou hoje usar “todo o arsenal” contra um alegado avanço das forças rebeldes pró-russas se continuarem os ataques a posições do exército ucraniano.

O governo ucraniano acusou os separatistas do leste do país de lançarem mais um ataque com mísseis a norte de Mariupol, uma cidade controlada pelas forças governamentais que serve de ligação terrestre entre os territórios controlados pelos rebeldes e a península da Crimeia, anexada pela Rússia.

Os separatistas, por seu lado, acusam Kiev de responsabilidade pelo mais recente reacendimento na frente de batalha.

A missão de vigilância da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa no terreno registou um “aumento significativo dos casos de violações do cessar-fogo no leste e no norte de Mariupol”, refere um comunicado da organização. O acordo de cessar-fogo assinado em fevereiro tem sido violado regularmente, mas tem permitido limitar o conflito a meia dúzia de pontos específicos, pelo que os países ocidentais insistem na sua aplicação.

Quase 7.000 pessoas morreram em 15 meses de conflito no leste da Ucrânia.


Notícias relacionadas