Escolha as suas informações

Ucrânia: Rússia "praticamente em guerra" contra a Europa - Presidente da Lituânia
Mundo 30.08.2014

Ucrânia: Rússia "praticamente em guerra" contra a Europa - Presidente da Lituânia

Ucrânia: Rússia "praticamente em guerra" contra a Europa - Presidente da Lituânia

Foto: Reuters
Mundo 30.08.2014

Ucrânia: Rússia "praticamente em guerra" contra a Europa - Presidente da Lituânia

A Presidente da Lituânia, DaliaGrybauskaité, considerou hoje que a Rússia está "praticamente em guerra contra a Europa" e pediu aos europeus que enviem material militar para a Ucrânia.

A Presidente da Lituânia, DaliaGrybauskaité, considerou hoje que a Rússia está "praticamente em guerra contra a Europa" e pediu aos europeus que enviem material militar para a Ucrânia.

"A Rússia está em estado de guerra com a Ucrânia, um país que quer fazer parte da Europa, o que significa que Moscovo está praticamente em guerra contra a Europa", declarou Grybauskaité, ao chegar à cimeira europeia em Bruxelas, quando se multiplicam informações sobre as incursões de tropas regulares russas na Ucrânia, informações que já foram desmentidas por Moscovo.

"Devemos ajudar a Ucrânia a defender-se […]. Devemos enviar material militar", acrescentou a responsável lituana, que defende uma posição muito mais firme da União Europeia (UE) contra a Rússia.

DaliaGrybauskaité criticou as sanções impostas pela UE a Moscovo, que considerou "demasiado gerais e sem um alvo muito bem definido", lamentando, uma vez mais, que estas medidas não sejam aplicadas aos contratos de armamento existentes.

Em Julho, a Presidente da Lituânia denunciou a venda de porta-helicópteros "Mistral" franceses à Rússia.

O primeiro-ministro finlandês, Alexander Stubb, excluiu aparentemente a aplicação de novas sanções, a partir de hoje.

"Vamos provavelmente falar de novas sanções nos quatro domínios seguintes: os serviços financeiros, armamento, bens de utilização dupla e tecnologia na área da energia", afirmou, ao chegar a Bruxelas.

O presidente francês, François Hollande, anunciou que as sanções contra a Rússia "seriam, sem dúvida, alargadas" no Conselho Europeu, em Bruxelas.

O chefe de Estado da Ucrânia, PetroPorochenko, vai informar os chefes de Estado e de governo da UE sobre a situação no terreno, no leste do país, afirmando esperar que "a agressão russa não deve ficar em resposta da UE".


Notícias relacionadas