Escolha as suas informações

Ucrânia: Putin lança desafio para negociações sobre novo Estado
Mundo 31.08.2014

Ucrânia: Putin lança desafio para negociações sobre novo Estado

Ucrânia: Putin lança desafio para negociações sobre novo Estado

Foto: AFP
Mundo 31.08.2014

Ucrânia: Putin lança desafio para negociações sobre novo Estado

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou hoje à Ucrânia para encetar com urgência negociações sobre o modelo de Estado, para garantir os interesses da região pró-russa, condição indispensável para o termo do conflito.

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou hoje à Ucrânia para encetar com urgência negociações sobre o modelo de Estado, para garantir os interesses da região pró-russa, condição indispensável para o termo do conflito.

“Há que proceder de imediato à abertura de negociações substanciais sobre questões da organização política da sociedade e do modelo de Estado no leste da Ucrânia”, afirmou Putin à televisão pública.

O presidente russo instou Kiev a declarar o cessar-fogo, a pôr em marcha o plano de paz, reconstruir as infra-estruturas na zona de conflito e a preparar-se para o inverno.

No sábado, o Presidente ucraniano, Petro Poroshenko, disse que a crise com a Rússia, pelo apoio aos separatistas no leste da Ucrânia, está perto de um “ponto de não retorno” e de se transformar numa “guerra em larga escala”.

“Penso que estamos muito perto do ponto de não retorno. O ponto de não-retorno é uma guerra em larga escala”, disse numa conferência de imprensa, depois de se reunir em Bruxelas com os chefes de Estado e de Governo dos países da União Europeia (UE).

Poroshenko acrescentou que considera como guerra o movimento de tropas russas no leste da Ucrânia e considerou que se acontecer uma acção ofensiva esse é o ponto de não retorno.

O Presidente ucraniano disse ainda que estão a ser feitos grandes esforços para que se possa resolver a crise ao nível diplomático, e mostrou-se confiante de que os resultados das negociações trilaterais da próxima semana, entre a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), a Rússia e a Ucrânia, seja o cessar-fogo.


Notícias relacionadas