Escolha as suas informações

Ucrânia: Forças pró-russas anunciam cerco total a cidade de Lysychansk
Mundo 2 min. 02.07.2022
Guerra

Ucrânia: Forças pró-russas anunciam cerco total a cidade de Lysychansk

Uma rua da cidade de Lysychansk numa imagem captada em junho.
Guerra

Ucrânia: Forças pró-russas anunciam cerco total a cidade de Lysychansk

Uma rua da cidade de Lysychansk numa imagem captada em junho.
AFP
Mundo 2 min. 02.07.2022
Guerra

Ucrânia: Forças pró-russas anunciam cerco total a cidade de Lysychansk

Lusa
Lusa
Ucranianos desmentem tomada total da cidade na região de Lugansk pelos russos, confirmando a existência de "batalhas ferozes".

As forças pró-russas cercaram completamente a cidade de Lysychansk, na região oriental de Lugansk, após ocuparem todas as localidades importantes ao redor da localidade, assegurou hoje Andrei Marochko, porta-voz da milícia separatista.

"Hoje, graças aos esforços conjuntos da milícia popular da república popular de Lugansk e das Forças Armadas da Federação Russa, ocuparam-se os últimos lugares estrategicamente importantes, o que nos permite dizer que a cidade de Lysychansk está completamente rodeada", disse às agências russas Interfax e TASS.

Segundo noticiou esta manhã a agência oficial RIA Novosti, as tropas pró-russas ocuparam a localidade de Zolotarivka, a oeste de Lysychansk, mas faltava tomar o controlo de Bilohorivka, a seis quilómetros da primeira cidade, para fechar completamente o cerco.

O líder checheno, Ramzan Kadirov, cujos homens combatem na zona, sublinhou na sua conta de Telegram que Lysychansk está “completamente rodeada por forças aliadas", ou seja, russas e pró-russas.


O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg
NATO responsabiliza Putin pela crise alimentar global
O impacto da crise alimentar “é grave, incluindo em algumas das pessoas mais vulneráveis do mundo”, disse o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, na conferência final da cimeira de Madrid.

Ataque de larga escala

"Pode supor-se que em breve começará um ataque de larga escala contra a cidade. O inimigo não tem para onde ir, já que todas as entradas e saídas da cidade estão bloqueadas. Romper o denso anel do cerco não funcionará, mesmo se o tentarem com todas as forças”, sustentou.

Pouco depois acrescentou, numa segunda mensagem, que as “unidades aliadas” já estavam no centro da cidade.

O assessor do ministro do Interior da autoproclamada república popular de Lugansk, Vitali Kiselev, assegurou à TASS que Lysychansk, último bastião de Kiev na região de Lugansk, cairá nos "próximos dois dias", totalmente sob controlo dos pró-rusos, enquanto Marochko só falou de "um futuro próximo".

O Ministério da Defensa da Rússia não confirmou as afirmações dos pró-russos e Kiev nega-as diretamente.

Ucrânia desmente cerco

O porta-voz da Guarda Nacional da Ucrânia, Ruslan Muzychuk, afirmou nas televisões ucranianas que há batalhas ferozes perto de Lisichansk, mas a cidade em si não está rodeada, encontrando-se ainda sob controlo das forças ucranianas, segundo reporta a agência Ukrinform.


Casal Zelensky. “A nossa relação está em pausa” devido à guerra
“Nós como todas as famílias estamos à espera de nos reunirmos outra vez”, declara a mulher do presidente ucraniano numa entrevista onde fala dos filhos e do seu sofrimento.

"Nos últimos dias, como se depreende da informação do Estado Maior, a situação é mais difícil na direção de Lysychansk, Bajmut e na região de Kharkiv. Também na direção de Slavyansk o inimigo está a tentar um assalto com o objetivo de melhorar a sua posição tática", disse Ruslan Muzychuk à televisão ucraniana.

A mesma fonte acrescentou que as tropas russas continuam a tentar alcançar fronteiras administrativas das regiões de Donetsk e Lugansk, de acordo com a agência Ukrinform.

A Rússia invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro e a ofensiva militar já matou mais de quatro mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas