Escolha as suas informações

Trump saúda “encontro histórico” entre líderes das duas Coreias
Donald Trump

Trump saúda “encontro histórico” entre líderes das duas Coreias

AFP
Donald Trump
Mundo 27.04.2018

Trump saúda “encontro histórico” entre líderes das duas Coreias

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, saudou hoje o “encontro histórico” entre os líderes da Coreia do Norte e da Coreia do Sul depois de “um ano furioso de lançamentos de mísseis e de testes nucleares”.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, saudou hoje o “encontro histórico” entre os líderes da Coreia do Norte e da Coreia do Sul depois de “um ano furioso de lançamentos de mísseis e de testes nucleares”.

“Estão a acontecer coisas positivas, mas só o tempo o dirá”, escreveu Trump no Twitter.

Noutra mensagem naquela rede social, Trump afirma que os norte-americanos devem estar “muito orgulhosos” do encontro.

“A guerra coreana vai acabar! Os Estados Unidos e todo o seu grande povo devem estar muito orgulhosos do que está a acontecer na Coreia”, escreveu.

A cimeira de Kim Jon-un e Moon Jae-in foi a primeira entre líderes coreanos em 11 anos e Kim foi o primeiro dirigente norte-coreano a pisar solo da Coreia do Sul desde o fim da Guerra da Coreia.

Segundo a declaração final do encontro, os dois líderes comprometeram-se com a “completa desnuclearização” da península coreana e a promoverem a paz para acabar oficialmente com a guerra na região.

As duas anteriores cimeiras intercoreanas, em 2000 e 2007, decorreram em Pyongyang.

A reunião dos líderes da península coreana antecede o encontro histórico entre Kim e Trump, previsto para entre final de maio e início de junho.

Trump agradeceu "grande ajuda" da China na aproximação das duas Coreias

Donald Trump agradeceu a "grande ajuda" do seu homólogo chinês, Xi Jinping, por ter facilitado a aproximação entre as duas Coreias, sem a qual o processo seria "muito mais longo e duro".

"Por favor, não nos esqueçamos da grande ajuda que o meu bom amigo, o Presidente Xi da China deu aos EUA, particularmente na fronteira da Coreia do Norte", disse Trump numa mensagem publicada na rede social Twitter.

"Sem ele o processo teria sido muito mais longo e duro", acrescentou o líder norte-americano.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas