Escolha as suas informações

Trump quer reverter programa que promove refeições mais saudáveis nas escolas
Mundo 18.01.2020

Trump quer reverter programa que promove refeições mais saudáveis nas escolas

Trump quer reverter programa que promove refeições mais saudáveis nas escolas

Mundo 18.01.2020

Trump quer reverter programa que promove refeições mais saudáveis nas escolas

Lusa
Lusa
Proposta de reforma federal propõe-se “atenuar” o programa que Michelle Obama criou e poderá levar novamente ‘pizzas’ e batatas fritas para as cantinas das escolas americanas.

A Governo do republicano Donald Trump quer reverter o programa que promove refeições mais saudáveis nas escolas norte-americanas, iniciado pela ex-primeira-dama dos Estados Unidos Michelle Obama, informou na sexta-feira o secretário da Agricultura, Sonny Perdue.

De acordo com o comunicado citado pela agência Associated Press, o governante apresentou uma proposta de reforma federal para “atenuar” o programa que Michelle Obama criou e que poderá trazer novamente ‘pizzas’ e batatas fritas para as cantinas das escolas.

Partindo da premissa de que os alunos descartam alimentos que não sejam “apetitosos”, Sonny Perdue propôs que os legumes fossem apresentados sob a forma de legumes fritos, em vez de serem descartados das opções alimentares.

“As escolas dizem-nos que ainda há muito desperdício de alimentos e é necessário haver maior flexibilidade do senso comum para fornecer aos alunos refeições nutritivas e apetitosas”, referiu o secretário.

A proposta contempla também “mais variedades de vegetais”, além de menus ‘à la carte’, e as medidas deverão abranger mais de 100.000 escolas e 30 milhões de estudantes.

A ideia da administração Trump foi contestada pelas organizações relacionadas com a saúde.

“O Governo Trump continua a atacar a saúde das crianças sob o pretexto de simplificar os cardápios das escolas”, afirmou, em comunicado, o membro do Centro de Ciência de Interesse Público Colin Schwartz, acrescentando que a proposta vai “permitir às crianças escolherem ‘pizza’, hambúrgueres, batatas fritas e outros alimentos ricos em calorias e gorduras [saturadas]” em vez de haver “menus escolares equilibrados todos os dias”.

Também a presidente da Parceria para uma América mais Saudável, Nancy Roman, referiu que “não é apenas o que está no prato”, mas também a forma como a refeição “é preparada”.

"As crianças precisam especialmente de ser expostas a frutas e vegetais que não sejam processados", acrescentou.

A iniciativa de Michelle Obama, adotada em 2012, foi considerada crucial para combater a obesidade infantil nos Estados Unidos, um país onde uma em cada cinco crianças e adolescentes está acima do peso recomendado para a idade.

A medida colocou restrições às quantidades de sal e leites adoçados, além de impor o aumento da presença de cereais integrais nas refeições escolares.