Escolha as suas informações

Trump: "Os Estados Unidos não serão um campo de imigrantes"

Trump: "Os Estados Unidos não serão um campo de imigrantes"

Foto: AFP
Mundo 18.06.2018

Trump: "Os Estados Unidos não serão um campo de imigrantes"

Ao mesmo tempo que são divulgadas imagens de crianças em gaiolas junto à fronteira com o México, presidente norte-americano afirma que o país não será "um complexo para manter refugiados".

"Os Estados Unidos não serão um campo de imigrantes, nem um complexo para manter refugiados", afirmou Donald Trump, por entre as críticas de que está a ser alvo devido à política de separação entre as crianças migrantes e os seus pais, junto à fronteira com o México, tendo sido divulgadas imagens de crianças em gaiolas. 

Segundo dados governamentais, em apenas seis semanas houve duas mil crianças a serem separadas dos pais e Trump escuda-se numa medida criada ainda durante a Administração Obama para se defender, afirmando que está apenas a aplicar com rigor a lei antes não aplicada. Mas as críticas têm chegado de todos os setores da sociedade e mesmo a mulher do chefe de Estado, Melania Trump, se afirmou desgostosa com a situação, propondo um acordo entre republicanos e democratas para que haja mudança rápida.  

Antes, através da conta no Twitter, o presidente dos Estados Unidos criticara a chanceler alemã, Angela Merkel, sublinhando que a sua política de imigração está a deixar em dificuldades a coligação que sustenta o governo.

"O povo alemão está a voltar-se contra a sua liderança enquanto a política de migração cria mais debilidades na já desequilibrada coligação de governo", escreveu Trump, citado pelo diário The Guardian.

As afirmações do chefe de Estado norte-americano surgem num contexto em que a CSU, parceira de coligação da CDU e do SPD no governo, reivindica a rejeição da entrada de estrangeiros cujo pedido de asilo já tenha sido apresentado noutro país.

"O crime na Alemanha está bem alto", acrescentou Trump. Segundo a publicação britânica, trata-se de uma mentira, uma vez que, no passado mês de maio, "o ministro alemão do Interior divulgou os números mais baixos de criminalidade desde 1992".

O diário lembra as críticas que o milionário fez durante a campanha, quando se queixou da falta de investimento alemão na indústria do armamento.

Além disso, considerou ainda "uma loucura" que Merkel mantivesse as fronteiras abertas aos refugiados sírios durante o verão de 2015.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Hoje: Trump e Merkel reúnem-se em Washington
A chanceler alemã, Angela Merkel, reúne-se hoje em Washington com o novo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para um primeiro contacto que surge num momento de alívio para a Europa, com a derrota da extrema-direita holandesa
Trump et Merkel