Escolha as suas informações

Trump não paga praticamente impostos e deve milhões
Mundo 4 min. 28.09.2020

Trump não paga praticamente impostos e deve milhões

Trump não paga praticamente impostos e deve milhões

Foto: AFP
Mundo 4 min. 28.09.2020

Trump não paga praticamente impostos e deve milhões

Redação
Redação
O Presidente dos Estados Unidos tem repetidamente recusado revelar a sua situação fiscal. A poucos meses das eleições o jornal New York Times revela que o multimilionário Donald Trump quase não paga impostos.

Donald Trump pagou só 750 dólares em impostos federais sobre o rendimento no ano em que conquistou a Casa Branca. Após um ano na Presidência dos Estados Unidos, pagou apenas mais 750 dólares. E não pagou qualquer imposto sobre o rendimento durante 10 dos 15 anos anteriores a ter sido eleito para a Casa Branca. A revelação é feita este domingo pelo diário norte-americano New York Times.

O jornal obteve informações fiscais de Donald Trump de mais de duas décadas, revelando empresas em dificuldades e centenas de milhões dólares em dívidas, que terão que ser pagas em pouco tempo.

O New York Times escreve que “as declarações de impostos que Trump tem desde longa data lutado para manter em privado contam uma história fundamentalmente diferente daquela que ele tem vendido ao público norte-americano”.

“As suas declarações ao fisco traçam o retrato de um empresário que recebe centenas de milhões de dólares por ano, mas que sofre perdas crónicas a que recorre agressivamente para evitar pagar impostos”, lê-se no diário, que acrescenta que os documentos mostram ainda que o universo empresarial de Trump está neste momento fortemente dependente “de negócios que o colocam em potencial e por vezes directo conflito de interesses com a sua função de Presidente”.

À medida que o Presidente se envolve, também financeiramente,  na campanha de reeleição e em que as sondagens dizem que está em perigo de perder, as suas finanças estão sob stress, assoladas por perdas de centenas de milhões de dólares de dívidas, garantidas pessoalmente por ele. A isso acresce uma batalha jurídica com o fisco em que está envolvido há mais de uma década. Em causa está a legitimidade de um reembolso de impostos de 72,9 milhões de dólares que ele reivindicou, e recebeu, depois de ter declarado enormes perdas. Uma decisão negativa poderia custar-lhe mais de 100 milhões de dólares de pagamentos ao fisco. 

Reações de Trump

Numa primeira reacção, e em conferência de imprensa na Casa Branca, Trump qualificou a investigação do New York Times como “fake news” (notícia falsa) e afirmou que estaria disposto a revelar as suas declarações de impostos, mas que está impedido devido a uma auditoria do fisco que decorre há vários anos.  

Em resposta a uma carta resumindo as conclusões do jornal , Alan Garten, advogado da Organização Trump, disse que "a maioria, se não todos os factos parecem ser inexactos" e solicitou os documentos em que se baseavam. Depois do jornal se ter recusado a fornecer os registos, a fim de proteger as suas fontes, o Garten apenas se pronunciou directamente sobre o montante dos impostos que o Trump tinha pago. 

 "Durante a última década, o Presidente Trump pagou dezenas de milhões de dólares em impostos pessoais ao governo federal, incluindo o pagamento de milhões em impostos pessoais desde que anunciou a sua candidatura em 2015", disse advogado de Trump numa declaração. 

Com o termo "impostos pessoais", contudo, Garten parece estar a misturar os impostos sobre o rendimento com outros impostos federais que Trump pagou: Segurança Social, Medicare e impostos dos seus empregados domésticos. O advogado disse também que parte do que o Presidente devia era "pago com créditos fiscais", uma caracterização enganosa dos créditos, que reduz a factura do imposto sobre o rendimento de um empresário como recompensa por várias actividades, como gastos tidos em ações, como preservação histórica. 

Os dados fiscais examinados pelo New York Times contam uma outra história: desde a anulação dos custos de um advogado de defesa criminal e de uma mansão utilizada como refúgio familiar até à contabilidade completa dos milhões de dólares que o Presidente recebeu do concurso Miss Universo de 2013 em Moscovo. 

Juntamente com documentos financeiros e arquivos legais relacionados, os registos oferecem o olhar mais detalhado até agora dentro do império empresarial do Presidente. Revelam as dificuldades, mas também a feitiçaria, por detrás da imagem bilionária auto-fabricada e aperfeiçoada através da sua aparição, como estrela, no programa de televisão "The Apprentice" - que o ajudou a chegar à Casa Branca, vendendo a imagem de um empresário de suceso.

Em última análise, o Trump tem tido mais sucesso a fingir de magnata dos negócios do que a ser um na vida real.

A notícia do New York Times deste domingo surge a pouco mais de um mês das eleições presidenciais norte-americanas de 3 de Novembro, em que Trump disputa a reeleição para a Casa Branca com o candidato democrata Joe Biden. O jornal afirma que divulgará mais detalhes desta investigação nas próximas semanas.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas