Escolha as suas informações

Trump diz que crise do novo coronavírus é “pior que Pearl Harbor"
Mundo 2 min. 07.05.2020 Do nosso arquivo online

Trump diz que crise do novo coronavírus é “pior que Pearl Harbor"

Trump diz que crise do novo coronavírus é “pior que Pearl Harbor"

Foto: AFP
Mundo 2 min. 07.05.2020 Do nosso arquivo online

Trump diz que crise do novo coronavírus é “pior que Pearl Harbor"

Lusa
Lusa
“É pior que o World Trade Center", acrescentou Trump.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, considerou hoje que a atual crise do novo coronavírus é “pior” que o ataque surpresa conduzido pelo Japão em 1941 contra a base naval norte-americana de Pearl Harbor, no Havai.

“É pior que Pearl Harbor", afirmou o chefe de Estado norte-americano em declarações na Sala Oval (gabinete presidencial), na Casa Branca, em Washington, mencionando a ofensiva aérea japonesa que fez mais de 2.400 vítimas norte-americanas e que ditou a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial.

“É pior que o World Trade Center", acrescentou Trump, numa referência aos atentados ocorridos em 11 de setembro de 2001 e que visaram, entre outros alvos, estes dois edifícios, localizados no centro financeiro de Nova Iorque.

Os atentados terroristas de setembro de 2001 fizeram quase 3.000 mortos.


Covid-19. Cientista dos EUA diz que foi demitido por alertar sobre medicamento
O cientista alega que sempre se opôs ao amplo uso da hidroxicloroquina.

Na atual pandemia do novo coronavírus, os Estados Unidos são, neste momento, o país com mais mortes associadas à doença covid-19 (71.078) e com mais casos de infeção confirmados (mais de 1,2 milhões).

“Nunca houve um ataque desta natureza. Nunca deveria ter acontecido", acrescentou Trump, reafirmando o seu desejo de “reabrir o país”.

Nas mesmas declarações, o Presidente norte-americano explicou porque desistiu de acabar com a célula de crise que foi criada para organizar a resposta a nível do governo federal face à pandemia do novo coronavírus.

“Não tinha percebido quão popular era a célula de crise", afirmou Trump, admitindo mesmo que a equipa possa vir a ser reforçada com mais “duas ou três" pessoas.

“É muito apreciada pela opinião pública", insistiu.

Na terça-feira, o vice-Presidente norte-americano, Mike Pence, que lidera a célula de crise contra o coronavírus criada pela Casa Branca, indicou que esta equipa seria desmantelada nas próximas semanas e que a abordagem à crise iria ser gerida pelos vários departamentos (ministérios) que compõem a administração norte-americana.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias France-Presse (AFP), a pandemia de covid-19 já provocou mais de 257 mil mortos e infetou quase 3,7 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de um 1,1 milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, alguns países começaram a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos a aliviar diversas medidas.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas