Escolha as suas informações

Trier. Condutor fica detido
Mundo 2 min. 02.12.2020

Trier. Condutor fica detido

Trier. Condutor fica detido

Oliver Dietze/dpa
Mundo 2 min. 02.12.2020

Trier. Condutor fica detido

A pedido do Ministério Público, o juiz de instrução do tribunal de Trier emitiu um mandado de captura contra o acusado de 51 anos de idade por suspeita de homicídio em 5 casos e tentativa de homicídio e danos corporais graves em mais 18 casos.

O autor do atropelamento deliberado que matou cinco pessoas e feriu 18, seis delas com gravidade vai ficar detido, depois do juiz de instrução criminal ter acatado o pedido do Ministério Público que, para já, não levou em conta o facto do alemão de 51 anos ter distúrbios mentais. 

A decisão foi conhecida pouco depois do 12h, segundo o comunicado conjunto emitido pelo Ministério Público de Trier e pela Sede da Polícia de Trier. 

Na opinião do procurador, o homem conduziu aleatória e deliberadamente a alta velocidade na zona pedestre em Trier com a clara intenção de matar ou pelo menos ferir o maior número de pessoas possível. Matou 5 pessoas desta forma - 3 mulheres de 25, 52 e 73 anos, assim como um homem de 45 anos e uma criança de 9 semanas -. 18 outras pessoas ficaram feridas no decurso do tumulto, 6 delas gravemente. Todas de nacionalidade alemã. Entre os feridos há também um luxemburguês e um cidadão de origem holandesa. 

Motivações por apurar 

Ainda durante a tarde da passada terça-feira, as autoridades descartaram a hipótese de um ataque terrorista com motivações políticas ou religiosas. Apesar do condutor ter prestado declarações por duas vezes, as verdadeiras motivações do crime que está a chocar a Grande Região ainda não são conhecidas. 

Segundo o News Trier, o acusado fez declarações variadas e em parte incompreensíveis, das quais até agora não se pode deduzir nem um motivo compreensível para o crime nem pormenores sobre o curso dos acontecimentos. 

Os interrogatórios deverão continuar nos próximos dias já que o alemão decidiu colaborar com a justiça em vez de se reservar ao direito ao silêncio. 

Para já o processo segue em segredo de justiça. Sabe-se apenas que o homem acusou 1,4 % de álcool no sangue e viveria no carro que usou para fazer o ataque há cerca de uma semana. 

Nesse sentido, foi-lhe retirada uma amostra de sangue para uma investigação mais aprofundada sobre a relação com a bebida, já que os vizinhos lhe apontam problemas de adição. 

De acordo com a imprensa alemã, o acusado também mostrou alguns problemas psiquiátricos durante e após a sua prisão e na custódia policial. O Ministério Público em Trier encarregará portanto um perito em psiquiatria de emitir um parecer pericial sobre a questão da sua culpabilidade. Contudo, de acordo com uma avaliação preliminar dos resultados até à data, não existem atualmente, pelo menos, indicações concretas de que a culpabilidade do infrator tenha sido completamente descartada. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.