Escolha as suas informações

Tribunal russo condena Alexei Navalny por fraude
Mundo 2 min. 22.03.2022
Rússia

Tribunal russo condena Alexei Navalny por fraude

O opositor ao regime russo ao saber do veredito do juiz pela sua advogada, no julgamento que decorreu online. Navalny encontra-se numa prisão em Pokrov, na região russa de Vladimir.
Rússia

Tribunal russo condena Alexei Navalny por fraude

O opositor ao regime russo ao saber do veredito do juiz pela sua advogada, no julgamento que decorreu online. Navalny encontra-se numa prisão em Pokrov, na região russa de Vladimir.
Foto: AFP
Mundo 2 min. 22.03.2022
Rússia

Tribunal russo condena Alexei Navalny por fraude

AFP
AFP
O principal opositor de Vladimir Putin pode ter de cumprir até 13 anos de prisão numa prisão de segurança máxima.

Um tribunal russo condenou esta terça-feira o líder da oposição russa, Alexey Navalny, por novas acusações de fraude. "Navalny cometeu fraude. Quer dizer: apropriação de bens alheios através do engano e do abuso de confiança", disse a juíza Margarita Kotova, citada pela agência Interfax. Navalny pode ter de cumprir até 13 anos numa prisão de segurança máxima, sentença pedida pelo Ministério Público.

O opositor ao regime de Putin, que está atualmente a cumprir uma pena de dois anos e meio, aproveitou o julgamento para denunciar a invasão russa da Ucrânia, que mergulhou a Rússia numa crise económica e no isolamento internacional. 


"III Guerra Mundial? Já entrámos nela há algum tempo", diz biógrafa de Putin
"Putin está a agir de forma cada vez mais emocional e poderá usar todas as armas ao seu dispor. Incluindo as nucleares. É importante não ter nenhumas ilusões, mas também não perder a esperança", diz a ex-conselheira nacional de defesa norte-americana, Fiona Hill. (Recorde o artigo).

 "É agora o dever de cada pessoa opor-se a esta guerra", disse Navalny ao tribunal a 15 de março. A invasão da Ucrânia provocará "o colapso, a desintegração do nosso país", acrescentou. Navalny, que deveria ser libertado no próximo ano, pode ser transferido para uma prisão mais remota, o que lhe dificultará o contacto com apoiantes, escreveu a sua porta-voz Kira Yarmysh no Twitter na segunda-feira. 

Até mesmo a sua participação no julgamento foi feita remotamente da prisão onde está, a cerca de 100 quilómetros de Moscovo. As autoridades justificaram esta ausência com as restrições por causa da covid-19. Até agora Navalny consegue ir partilhando formações nas redes sociais através dos seus advogados. 

Esta condenação surge num clima de dura repressão da dissidência desde o início da guerra há um mês, com Putin a rotular os que se opõem à invasão como "traidores". 

Esta semana, o regime russo proibiu o Facebook e o Instagram no país, considerando-os "extremistas", e as autoridades russas bloquearam ou encerraram os meios de comunicação independentes a fim de controlar o acesso à informação. 


O ativista anticorrupção russo Alexei Navalny, opositor político do Presidente Vladimir Putin.
Navalny acusa Portugal de receber subornos para naturalizar Roman Abramovich
Alexei Navalny, opositor de Vladimir Putin, criticou o Estado português por, alegadamente, ter recebido subornos para atribuir a nacionalidade portuguesa a Roman Abramovich, o multimilionário dono do Chelsea.

Navalny, 45 anos, está detido desde janeiro de 2021, quando regressou à Rússia depois de recuperar no estrangeiro de um ataque quase fatal envolvendo um agente nervoso que ele e os governos ocidentais atribuíram aos serviços secretos de Putin. O Kremlin nega qualquer envolvimento na tentativa de assassinato na que aconteceu na Sibéria. 

Os apoiantes de Navalny e os defensores dos direitos humanos acusaram Putin de tudo fazer para manter o ativista em silêncio. A Amnistia Internacional considerou mesmo o julgamento de "fictício". 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas