Escolha as suas informações

Trabalhistas propõem um novo referendo sobre o Brexit
Mundo 25.02.2019 Do nosso arquivo online

Trabalhistas propõem um novo referendo sobre o Brexit

Trabalhistas propõem um novo referendo sobre o Brexit

Foto: AFP
Mundo 25.02.2019 Do nosso arquivo online

Trabalhistas propõem um novo referendo sobre o Brexit

O líder Jeremy Corbyn vai dizer aos deputados trabalhistas na segunda-feira que o partido vai "apresentar ou apoiar uma emenda a favor de um voto público para impedir que um ‘Brexit' conservador adverso seja imposto no país".

 O partido Trabalhista, o principal partido da oposição britânico, anunciou a intenção de propor no parlamento a realização de um novo referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

O líder Jeremy Corbyn vai dizer aos deputados trabalhistas na segunda-feira que o partido vai "apresentar ou apoiar uma emenda a favor de um voto público para impedir que um ‘Brexit' conservador adverso seja imposto no país".

A primeira-ministra, Theresa May, vai atualizar na terça-feira os deputados sobre o processo do ‘Brexit' e submeter uma declaração, que será debatida e votada na quarta-feira, a qual será sujeita a propostas de alteração não vinculativas.

O partido Trabalhista pretende apresentar a sua própria emenda, onde defende que o governo britânico negoceie uma "união aduaneira permanente e abrangente com a UE" e "introduzir legislação primária para dar efeito estatutário a este mandato de negociação".

O ‘Labour' já havia dito que apoiaria um referendo como último recurso se não conseguisse eleição legislativas antecipadas ou fazer mudanças no acordo de saída negociado por May com Bruxelas.

A ideia tem sido repetidamente recusada por May, que diz estar empenhada em conseguir alterações à solução para a fronteira da Irlanda do Norte, designada por ‘backstop', no Acordo de Saída negociado com Bruxelas.

Porém, um grande número de deputados britânicos, sobretudo eurocéticos, teme que o país fique indefinidamente numa união aduaneira com a UE, e defendem a substituição do ‘backstop' por "providências alternativas".

Theresa May afirmou no domingo que o chamado "voto significativo" será repetido antes de 12 de março, apenas 17 dias antes da data de saída, a 29 de março.

Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

"Não vou simplesmente pedir aos deputados que reconsiderem outra vez [o mesmo acordo]. Pelo contrário, vou pedir-lhes que olhem para um acordo novo e melhorado com outro olhar - e para lhe darem o seu apoio", vincou, a ainda primeira-ministra do Reino Unido.