Escolha as suas informações

John McAfee, criador do antivírus informático McAfee, encontrado morto na prisão
Mundo 3 min. 24.06.2021
Tecnologia

John McAfee, criador do antivírus informático McAfee, encontrado morto na prisão

Tecnologia

John McAfee, criador do antivírus informático McAfee, encontrado morto na prisão

Foto: Christoph Dernbach/dpa
Mundo 3 min. 24.06.2021
Tecnologia

John McAfee, criador do antivírus informático McAfee, encontrado morto na prisão

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
O magnata que estava preso em Barcelona, a aguardar a extradição para os Estados Unidos, terá posto fim à própria vida.

 O americano, John McAfee, criador do antivírus informático McAfee, foi encontrado morto na prisão, em Barcelona, esta quarta-feira.  

O magnata, de 75 anos, que estaria prestes a ser extraditado para os Estados Unidos da América, sob a acusação de crimes de evasão fiscal, terá cometido suicídio, na cela que ocupava no Centro Penitenciário de Brians 2, nos arredores da cidade catalã, segundo avançaram fontes dos serviços prisionais.


Imagem de arquivo
Fundador do software McAfee detido em Espanha por crimes fiscais
O excêntrico milionário é acusado de fraude e fuga ao pagamento de impostos no valor de milhões de dólares, aos EUA, entre 2014 e 2018.

Apesar das manobras de reanimação, pelos serviços médicos da prisão, o óbito de McAfee acabou por ser declarado, estando agora a ser investigadas as circunstâncias em que ocorreu a sua morte.

John McAfee foi deito no aeroporto de El Prat, em Barcelona, no início de outubro de 2020, quando se preparava para apanhar um voo para Istambul, na Turquia. 

Era acusado, pelos tribunais americanos, de fraude e fuga ao pagamento de impostos no valor de milhões de dólares, aos EUA, entre 2014 e 2018.

Quando foi detido em Barcelona, pendia sobre si um mandado de busca e detenção para extradição para os EUA. O magnata encontrava-se detido, em prisão preventiva, desde então, a aguardar a extradição.

A ascensão e queda de um milionário excêntrico

 O processo nos EUA que culminou com a detenção de McAfee em Espanha foi o derradeiro episódio de uma vida atribulada, com um percurso de ascensão e desgraça, que nos últimos anos se pautou por várias fugas às autoridades.

Nascido em Inglaterra em 1945, John McAfee foi programador informático e um dos primeiros a criar software antivírus e scanner de vírus informáticos. 

Desenvolveu a sua carreira nos Estados Unidos da América, onde passou pela NASA e por outras grandes empresas, até fundar, no final dos anos 1980, a sua própria empresa. Viria a tornar-se conhecido por criar um programa de antivírus informático com o mesmo nome - McAfee. Nos anos 90 desligou-se da empresa e acabou por vender a sua parte. A empresa acabou por ser comprada pela Intel por 7,6 mil milhões de dólares (6,45 mil milhões de euros).

Vendo a sua fortuna afetada pela crise de 2008, McAfee começou a investir noutras áreas, como a pesquisa de antibióticos naturais, que o levou a criar uma empresa no Belize.

Em 2012, fugiu deste país após a morte de um vizinho, tendo-se refugiado na vizinha Guatemala, onde acabou por ser detido e deportado para os EUA. Apesar da morte suspeita do vizinho, McAfee não foi acusado no âmbito do caso.

Já em 2019, foi detido num porto da República Dominicana pela posse de várias armas no seu iate. Nessa altura, estaria em fuga dos EUA, onde já decorria um mandado de captura por crimes fiscais. As autoridades dominicanas acabaram por libertar John Mcafee que viajou de seguida para o Reino Unido.  

Em julho do mesmo ano, assumiu a uma agência noticiosa de Cuba que não tinha pago impostos nos EUA, durante os últimos oito anos - e não apenas nos quatro a que se refere a acusação -, e que não tencionava saldar as dívidas com o Estado americano. "Não voltarei a pagar impostos, é inconstitucional e ilegal", afirmou.

O processo relativo aos crimes fiscais cometidos nos EUA foi reaberto ainda em junho de 2019, mas permaneceu em segredo até à sua detenção em outubro de 2020, em Barcelona.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas