Escolha as suas informações

Taliban querem intervir na Assembleia Geral da ONU
Mundo 22.09.2021
Afeganistão

Taliban querem intervir na Assembleia Geral da ONU

Porta-voz do governo taliban, em Cabul.
Afeganistão

Taliban querem intervir na Assembleia Geral da ONU

Porta-voz do governo taliban, em Cabul.
Foto: Oliver Weiken/dpa
Mundo 22.09.2021
Afeganistão

Taliban querem intervir na Assembleia Geral da ONU

Lusa
Lusa
O pedido consta de uma carta enviada ao secretário-geral da ONU, António Guterres.

O regime taliban que governa o Afeganistão pediu para intervir nas reuniões da 76.ª sessão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que decorrem desde esta quarta até segunda-feira, confirmou hoje o porta-voz da ONU.

O pedido consta de uma carta enviada pelo ministro do Exterior taliban, Amir Khan Muttaqi, ao secretário-geral da ONU, António Guterres, que indica ainda a nomeação de um novo representante do Afeganistão, em substituição do atual embaixador, Ghulam Isaczai, escolhido pelo Governo afegão deposto.

Antes da carta do ministro do Exterior, a ONU já tinha recebido uma outra de Ghulam Isaczai, apresentando-se como o líder da delegação do país nas reuniões. Segundo o porta-voz da ONU, Farhan Haq, as duas cartas foram endereçadas ao comité de credenciais da Assembleia Geral, organismo formado por nove países, entre os quais Estados Unidos, China e Rússia.


Chefe de imprensa dos taliban numa conferência com os media, na capital afegã.
UE mantém "presença mínima" em Cabul mas não reconhece governo taliban
Os ministros da União Europeia (UE) decidiram hoje manter uma "presença mínima" na capital do Afeganistão para facilitar a mobilização de ajuda humanitária.

Vários países já estabeleceram contactos com o Governo taliban desde que assumiu o poder, principalmente para organizar evacuações e fornecer ajuda humanitária a civis, embora não haja ainda reconhecimento formal da sua autoridade.

Após quase duas décadas de presença de forças militares norte-americanas e da NATO, os taliban tomaram o poder em Cabul a 15 de agosto, culminando uma rápida ofensiva que os levou a controlar as capitais de 33 das 34 províncias afegãs em apenas 10 dias.


Bettel na mensagem gravada e transmitida na Assembleia-Geral da ONU em 2020. Diferente deste ano, o encontro realizou-se online devido à pandemia.
Xavier Bettel em Nova Iorque para Assembleia Geral das Nações Unidas
O primeiro-ministro luxemburguês tem encontro marcado com o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

Desde então, os combatentes islamitas radicais asseguraram em várias ocasiões a intenção de formar um Governo islâmico "inclusivo", que representasse todas as tribos e etnias do Afeganistão, mas em 07 de setembro anunciaram um governo totalmente masculino, só com ministros taliban, incluindo veteranos da sua linha dura, que governou o país entre 1996 e 2001, e da luta de 20 anos contra a coligação internacional liderada pelos Estados Unidos.

 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Este domingo, a Rússia, que é um dos cinco membros permanentes do Conselho, a par dos Estados Unidos, Reino Unido, França e China, tinha pedido uma reunião urgente do organismo para discutir situação no Afeganistão.