Escolha as suas informações

Talibãs mataram mais de 100 antigos membros do governo e pessoal de segurança
Mundo 31.01.2022
Afeganistão

Talibãs mataram mais de 100 antigos membros do governo e pessoal de segurança

Afeganistão

Talibãs mataram mais de 100 antigos membros do governo e pessoal de segurança

Foto: Wakil Kohsar/AFP
Mundo 31.01.2022
Afeganistão

Talibãs mataram mais de 100 antigos membros do governo e pessoal de segurança

Lusa
Lusa
Denúncia é feita num relatório das Nações Unidas. Nenhum país reconheceu ainda o governo talibã, que assumiu os destinos do país em agosto de 2021.

Os taliban e os seus aliados são acusados num relatório das Nações Unidas (ONU) de matar mais de 100 antigos membros do governo e das forças de segurança afegãs e afegãos que trabalhavam com tropas estrangeiras.

O documento, consultado pela agência noticiosa France-Press (AFP), regista também uma grave restrição dos direitos humanos no Afeganistão desde que os taliban assumiram a governação no verão, particularmente no que diz respeito aos direitos das mulheres e ao direito de protesto.

"Apesar dos anúncios de uma amnistia geral para antigos membros do governo, forças de segurança e para aqueles que trabalharam para os militares estrangeiros, a Manua (Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão) continuou a receber relatos credíveis de assassinatos, desaparecimentos forçados e outras ofensas contra estes indivíduos", lê-se no relatório.


Sharbat Gula
Itália acolhe a menina afegã dos olhos verdes cuja foto se tornou famosa em 1985
Como muitos dos seus compatriotas, Sharbat Gula pediu a organizações humanitárias para a ajudarem a deixar o país depois de os talibãs terem assumido o controlo do Afeganistão, em agosto passado, aproveitando a saída das forças norte-americanas e internacionais do território afegão.

Desde que os taliban tomaram o poder a missão da ONU recebeu mais de 100 relatos de homicídios que considera credíveis, aponta o relatório, acrescentando que mais de dois terços desses homicídios foram "homicídios extrajudiciais de facto cometidos pelas autoridades ou pelas suas filiais". Nenhum país reconheceu ainda o governo talibã.

Com o agravamento da pobreza e a seca devastando a agricultura em muitas áreas, a ONU advertiu que metade dos 38 milhões de pessoas do Afeganistão estão em risco de escassez alimentar.


Mulheres com o véu integral na capital afegã, Cabul.
Governo taliban pede às televisões que não transmitam séries com mulheres
O Ministério da Promoção da Virtude e Prevenção do Vício do Governo talibã apelou no domingo às estações de televisão afegãs para que deixem de transmitir séries e novelas com a participação de mulheres.

O Conselho de Segurança adotou por unanimidade em dezembro uma resolução que facilita a ajuda humanitária ao Afeganistão durante um ano, sem violar as sanções internacionais contra indivíduos e entidades ligadas aos taliban.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas