Escolha as suas informações

Talibãs avisam as mulheres trabalhadoras para "ficarem em casa"
Mundo 9 26.08.2021
Afeganistão

Talibãs avisam as mulheres trabalhadoras para "ficarem em casa"

Afeganistão

Talibãs avisam as mulheres trabalhadoras para "ficarem em casa"

AFP
Mundo 9 26.08.2021
Afeganistão

Talibãs avisam as mulheres trabalhadoras para "ficarem em casa"

As afegãs devem permanecer em casa e deixar de ir trabalhar “para sua segurança”, porque os militares talibãs “não estão treinados” para as respeitar, dizem os líderes talibãs.

Os líderes dos talibãs têm anunciado que as mulheres afegãs não devem ter receio de um regresso à sua vida invisível e com todas as proibições sociais que lhe eram impostas há 20 anos, quando governavam o país.

Contudo, os medos e receios estão bem patentes na população e um primeiro sinal acaba de ser dado de que as promessas podem ser vãs, como se previa.

As mulheres trabalhadoras afegãs “devem ficar em casa”, anunciou o porta-voz dos talibãs Zabiullah Mujahid numa conferência de imprensa na terça-feira, citado pela CNN.

A razão? Não devem regressar, por enquanto, ao seu local de trabalho por “uma questão de segurança” porque os soldados afegãos “não estão treinados” para conviver com as mulheres e “podem ter atitudes desrespeitosas”, defendeu Mujahid salientando que a permanência em casa “é temporária”.


“É como estarmos mortas, apenas a respirar”
São refugiados afegão que vivem no Luxemburgo. Contam o que viveram e sentiram nestes dias em que os taliban retomaram o poder no Afeganistão. Por razões de segurança e para evitar eventuais represálias sobre as suas famílias mantemos o seu anonimato. Dizem que se a comunidade internacional nada fizer o país vai viver uma “catástrofe”.

O representante dos talibãs realçou que o grupo “está feliz” por as mulheres trabalharem, mas querem ter a certeza de que “não enfrentam nenhuma preocupação”.

Portanto, adiantou, “pedimos que elas não vão trabalhar até que a situação seja restabelecida e os procedimentos relacionados com as mulheres estejam em vigor. Então, elas podem retomar os seus empregos, quando tal for anunciado”.

Este anúncio dos talibãs foi feito no mesmo dia em que o Banco Mundial suspendeu o financiamento ao Afeganistão, citando preocupações sobre a segurança das mulheres no País e poucas horas depois da Organização Mundial das Nações Unidas pedir uma "investigação transparente e imediata" sobre os relatos de abusos aos direitos humanos no país desde 15 de agosto, quando os talibãs tomaram o País, vinca a CNN.


"Seria uma surpresa se os taliban cumprissem as primeiras promessas"
"Uma das impressões mais fortes e perturbadoras foi a questão das mulheres de burqa no espaço público. Ao início era uma enorme estranheza mas uns dias depois já nos habituávamos a ver aquelas manchas de azul a deslizar nas ruas." Entrevista à jornalista Cândida Pinto que esteve três vezes em reportagem no Afeganistão.

Desde esse dia milhares de afegãos e outros residentes se concentram junto ao Aeroporto Internacional de Cabul para tentar fugir do país, temendo aos sofrimentos que passavam até há 20 anos atrás, quando os talibãs governavam o Afeganistão.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

As imagens arrepiantes de pessoas a tentarem pendurar-se em aviões a levantar voo no aeroporto de Cabul são apenas um dos sinais do desespero que está instalado no Afeganistão.