Escolha as suas informações

Soldados franceses devem comparecer ante tribunal militar por carta aberta
Mundo 29.04.2021

Soldados franceses devem comparecer ante tribunal militar por carta aberta

Soldados franceses devem comparecer ante tribunal militar por carta aberta

Mundo 29.04.2021

Soldados franceses devem comparecer ante tribunal militar por carta aberta

No documento, os 18 militares alertavam para o perigo de uma guerra civil em França e da necessidade de combater o islamismo e o anti-racismo.

Pelo menos 18 soldados que assinaram uma carta aberta a avisar do risco de "guerra civil" em França e da necessidade de combater os "perigos" do "islamismo" e do "anti-racismo" devem enfrentar sanções militares.

A carta aberta, publicada pela revista de direita Valeurs Actuelles, alertou para os "perigos" do "islamismo e das hordas dos subúrbios" e acusou grupos anti-racistas de criar "ódio entre comunidades" com o seu apoio à demolição de estátuas de figuras francesas da época colonial.

A carta - assinada por pelo menos 18 soldados, incluindo quatro oficiais, e uma série de figuras militares reformadas, - afirmava que as políticas "laxistas" do governo resultariam no caos, exigindo "a intervenção dos camaradas em serviço ativo numa missão perigosa de proteção dos valores civilizacionais".

O chefe do estado-maior das Forças Armadas, o general François Lecointre, afirmou que cada soldado deveria ser presente a um conselho militar superior e poderia ser "colocado na reforma imediata". Hervé Grandjean, porta-voz do Ministério da Defesa, afirmou na quinta-feira que ao "criticar abertamente o Governo ou apelar aos camaradas para que se armem em território nacional", os signatários tinham claramente quebrado as regras militares.

A carta suscitou a fúria do governo francês enquanto a líder da extrema-direita Marine Le Pen disse compreender os sentimentos e apelou aos signatários para que apoiassem a sua política e a sua candidatura à presidência francesa em 2022.

Uma sondagem da Harris Interactive realizada para a LCI TV mostra que 58% dos inquiridos concorda com o conteúdo da carta, o que antecipa uma campanha presidencial tensa.

A carta foi publicada na semana passada, no 60º aniversário de um golpe de Estado falhado por generais que se opunham à concessão da independência da França à Argélia.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.