Escolha as suas informações

Socorristas e Jon Stewart obrigam os EUA a pagar aos trabalhadores feridos no 11 de setembro
Mundo 1 3 min. 24.07.2019

Socorristas e Jon Stewart obrigam os EUA a pagar aos trabalhadores feridos no 11 de setembro

Socorristas e Jon Stewart obrigam os EUA a pagar aos trabalhadores feridos no 11 de setembro

Foto: AFP
Mundo 1 3 min. 24.07.2019

Socorristas e Jon Stewart obrigam os EUA a pagar aos trabalhadores feridos no 11 de setembro

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
A lei "Never Forget the Heroes" vai pagar para sempre todos as despesas de saúde dos profissionais que socorreram as vítimas do atentado terrorista em Nova Iorque.

Dezoito anos após a tragédia, chegou ao fim a luta dos socorristas do atentado terrorista do 11 de setembro à qual se juntou o comediante Jon Stewart.   

Na passada terça-feira, o Senado norte-americano aprovou a lei "Never Forget the Heroes", que vai cobrir para sempre os custos de saúde destinados aos polícias, aos bombeiros e a outros socorristas que arriscaram a sua vida para salvar muitas outras. Alguns destes "heróis" sofrem agora de doenças e ferimentos relacionados com a tragédia de 2001, em que foram expostos a químicos perigosos. Todos os socorristas e os seus familiares - caso estes tenham morrido em trabalho - vão receber a devida compensação. 

Stewart foi um dos principais impulsionadores da lei agora aprovada. Depois de saber o resultado, o comediante fez um discurso em que relembrou que "nunca vai ser possível agradecer à comunidade do 11 de setembro pelo que fez pelo nosso país, mas, pelo menos, deixar de os penalizar. (…) Passaram por demasiados funerais, hospitais... todas estas famílias merecem melhor. O que espero é que comece hoje o seu processo de cura sem o fardo de terem que se defender. Foi a honra da minha vida trabalhar com os homens e mulheres atrás de mim."  

"Eles fizeram o seu trabalho - façam o vosso" 

Em junho, Jon Stewart pediu uma audiência uma audiência com os congressistas para falar do fim do fundo de apoio aos socorristas dos atentados ao World Trade Center, em Nova Iorque, a 11 de setembro de 2001. Nesse momento, o ex-apresentador não conteve a indignação perante a maioria das cadeiras vazias do sub-comité parlamentar para os Direitos e Liberdades Civis do Congresso dos EUA. 

"Aqui sentado, não posso deixar de pensar. Que metáfora é esta sala para aquilo em que todo o processo de arranjar mais cuidados de saúde e benefícios para as equipas de primeira intervenção do 11 de Setembro se tornou", afirmou Stewart, que se manteve firme no ataque à falta de comparência de quase todos os congressistas. 

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

Atrás dele, as bancadas estavam repletas de socorristas que, há 18 anos, acorreram às Torres Gémeas, em Nova Iorque, e que sofreram tiveram problemas de saúde por isso. Segundo o  diário inglês The Guardian, mais de 20 mil pessoas morreram com cancro ou problemas respiratórios devido às toxinas libertadas após os ataques dos dois aviões.

"É uma vergonha para o país e uma mancha para esta instituição. Deviam estar envergonhados mesmo por aqueles que não estão aqui. Mas não estão, porque responsabilidade não parece ser uma coisa que aconteça nesta Câmara", afirmou perante uma plateia que o aplaudiu de pé.

 "Atrás de mim, uma sala cheia de socorristas do 11 de setembro e, diante de mim, um Congresso quase vazio", disse o comediante visivelmente irritado e em lágrimas.  

Todos os anos, o 11 de Setembro é lembrado, prestando-se solidariedade com as cerca de três mil vítimas mortais e às milhares de pessoas que estiveram envolvidas nas operações de socorro. "Não há uma pessoa nesta sala que não tenha feito um tweet a dizer: "Nunca esquecer os heróis do 9/11", disse Stewart, acusando os congressistas de hipocrisia por passarem uma mensagem nas redes sociais que não condiz com a prática, dada a ausência na sala de audiências. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.