Escolha as suas informações

Sindicatos europeus criticam discurso de Von der Leyen por falta de soluções
Mundo 15.09.2021
União Europeia

Sindicatos europeus criticam discurso de Von der Leyen por falta de soluções

União Europeia

Sindicatos europeus criticam discurso de Von der Leyen por falta de soluções

Foto: AFP
Mundo 15.09.2021
União Europeia

Sindicatos europeus criticam discurso de Von der Leyen por falta de soluções

Lusa
Lusa
A Confederação Europeia de Sindicatos (CES) criticou o discurso sobre o estado da União, apresentado pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, por considerar que não apresentou soluções.

"O discurso de Ursula von der Leyen incluiu todas as frases cativantes certas sobre os problemas que os trabalhadores enfrentam, mas falhou nas soluções", disse o secretário-geral da CES, Luca Visentini, em comunicado enviado esta quarta-feira às redações.

Visentini explicou que Von der Leyen referiu "a importância do equilíbrio na vida das pessoas, mas não propôs uma diretiva necessária sobre o direito de o trabalhador se desconectar".

Para o líder da CES, Von der Leyen também mencionou o facto de a transição climática "dever ser justa", mas lamentou que não tenha aludido à "redução pela metade" do Fundo de Transição Justa para promover a transformação ecológica ou à falta de medidas concretas por parte de Bruxelas para reduzir as emissões de poluentes em 55% até 2030.


European Commission President Ursula von der Leyen delivers a speech during a debate on "The State of the European Union" as part of a plenary session in Strasbourg on September 15, 2021. (Photo by YVES HERMAN / POOL / AFP)
Estado da União. A diferença que um ano faz
Nesta edição, que aconteceu esta quarta, o "State of the Union" teve um brilho que o de 2020 não teve. Os desafios que vão marcar a agenda política da UE no próximo ano.

Visentini lembrou que a presidente da Comissão falou em apoiar os jovens, mas "sem anunciar direitos para os trabalhadores das plataformas e sem garantir a proibição de bolsas de estudo não pagas". "Foi o equivalente político dos aplausos aos trabalhadores essenciais durante o confinamento: foi bom ouvir, mas vai desaparecer rapidamente da memória", comparou Visentini.

Em qualquer caso, o líder da CES aplaudiu que Von der Leyen tenha anunciado uma lei contra a violência sobre as mulheres e gostou de que a presidente da CE tenha reconhecido que a resposta à crise financeira de 2008 baseada na austeridade "foi um erro".

"A Europa ainda está muito longe de alcançar a economia social de mercado da qual Ursula von der Leyen falou hoje. Para milhões de trabalhadores, a vida é mais difícil agora do que há uma década", defendeu Visentini.

Já a associação patronal europeia BusinessEurope teve uma visão muito mais positiva do discurso de Von der Leyen. "A BusinessEurope dá as boas-vindas ao discurso da presidente Von der Leyen sobre o estado de compromisso, positivo e aberto da União no exterior", escreveram os empregadores, na sua conta da rede social no Twitter.

Contudo, a BusinessEurope aproveitou para pedir à CE que coloque realmente em prática as propostas feitas por Von der Leyen para o fortalecimento económico da Europa.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.