Escolha as suas informações

Sindicalistas sugerem prisão de Boris Johnson em encontro
Mundo 11.09.2019

Sindicalistas sugerem prisão de Boris Johnson em encontro

Sindicalistas sugerem prisão de Boris Johnson em encontro

Foto: AFP
Mundo 11.09.2019

Sindicalistas sugerem prisão de Boris Johnson em encontro

Depois de um tribunal escocês ter considerado ilegal a suspensão do parlamento, vários líderes sindicais britânicos sugeriram esta quarta-feira a prisão do primeiro-ministro britânico por fechar aquela câmara "num momento de crise nacional, quando os empregos e os meios de subsistência das pessoas estão em jogo".

Um destacado líder sindical inglês avisou Boris Johnson que pode enfrentar vir a enfrentar uma “detenção cidadã” depois de o mais importante tribunal escocês ter considerado “nula e sem efeito” a suspensão do parlamento britânico decretada pelo primeiro-ministro.

Num comício em Brighton, durante um encontro sindical, o dirigente e deputado trabalhista Keir Starmer considerou “grande” a decisão da justiça e prometeu tentar reabrir novamente o parlamento enquanto discursava para sindicalistas.

De seguida, em declarações à Sky News, Len McCluskey, secretário-geral do Unite, o segundo maior sindicato do Reino Unido, reiterou as palavras de Keir Starmer considerando “extraordinária” a decisão e deixou um aviso ao primeiro-ministro britânico. "O meu conselho ao primeiro-ministro é não ir à Escócia. É provável que enfrente a prisão cidadã. Então, é melhor ficar no seu bunker algures em Eton ou Westminster”. A prisão executada por cidadãos está prevista na legislação inglesa para determinados crimes.

Outro líder sindical, Tim Roache, exigiu que Boris Johnson “resolva a bagunça” em que meteu o país. No último dia do encontro da mais importante central sindical britânica, o secretário-geral da GMB, outra importante estrutura de sindicatos, afirmou que “depois de perder seis votações seguidas e a maioria, não é surpresa que Johnson queira evitar o parlamento”. "Fechar o parlamento para os seus próprios fins num momento de crise nacional, quando os empregos e os meios de subsistência das pessoas estão em jogo”, denunciou Roache.

Já o líder do sindicato de transportes TSSA, Manuel Cortes, que defende um segundo referendo sobre o Brexit, disse que o “vergonhoso” primeiro-ministro devia estar atrás das grades e não em Downing Street. “O parlamento deve ser reaberto imediatamente mas Johnson devia estar na prisão e não no número 10 [de Downing Street]”, numa referência à residência oficial do primeiro-ministro.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas