Escolha as suas informações

Silvio Berlusconi tem alta do hospital em Milão
Mundo 14.09.2020

Silvio Berlusconi tem alta do hospital em Milão

Silvio Berlusconi tem alta do hospital em Milão

Roberto Monaldo/LaPresse via ZUM
Mundo 14.09.2020

Silvio Berlusconi tem alta do hospital em Milão

Lusa
Lusa
Berlusconi, que fará 84 anos no dia 29 de setembro, anunciou em 02 de setembro que testou positivo para o novo coronavírus, que causa a doença covid-19.

O antigo chefe de Governo italiano Silvio Berlusconi, hospitalizado desde 03 de setembro devido a uma infeção pulmonar causada pela covid-19, teve hoje alta do hospital San Raffaele, na cidade de Milão, no norte de Itália.

"Foi uma provação difícil, mas graças aos céus e aos médicos de San Raffaele eu saí desta provação, talvez a mais perigosa da minha vida", disse Berlusconi num breve discurso à imprensa diante do hospital.

"Obrigado a todos que têm estado perto de mim", disse na saída do hospital o ex-primeiro-ministro, que vestia um fato e gravata, caminhava sem ajuda, mas tinha a voz um pouco rouca.

O ex-chefe de Governo foi hospitalizado como "paciente de risco devido à sua idade e às suas patologias anteriores", incluindo uma intervenção cardíaca, explicou o professor Alberto Zangrillo, chefe do departamento de reanimação do Hospital San Raffaele e que seguiu pessoalmente o magnata dos meios de comunicação italianos.

Berlusconi acusou positivo para o novo coronavírus após regressar à casa de uma viagem a França, onde visitou Marina, a sua filha mais velha.


Berlusconi está infetado com a covid-19
A Itália regista mais de 269 mil infeções e 35.483 óbitos e é o segundo país mais afetado pela pandemia na Europa.

Dois dos seus outros filhos, Barbara, 36, e Luigi, 31, bem como a sua atual parceira, a congressista Marta Fascina, 30, também deram positivo no teste do novo coronavírus.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 924.968 mortos e mais de 29 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas