Escolha as suas informações

Senado aprova Antony Blinken como novo chefe da diplomacia dos EUA
Mundo 2 min. 26.01.2021

Senado aprova Antony Blinken como novo chefe da diplomacia dos EUA

Senado aprova Antony Blinken como novo chefe da diplomacia dos EUA

Foto: AFP
Mundo 2 min. 26.01.2021

Senado aprova Antony Blinken como novo chefe da diplomacia dos EUA

Lusa
Lusa
O resultado de Blinken no Senado indica que muitos republicanos votaram a favor desta nomeação do democrata Biden.

O Senado dos Estados Unidos confirmou hoje, por ampla maioria, a nomeação de Antony Blinken como chefe da diplomacia americana, seis dias após a chegada de Joe Biden à Casa Branca.

O novo secretário de Estado norte-americano obteve 78 votos a favor, contra 22 - uma maioria muito mais confortável do que a obtida pelos seus antecessores republicanos Rex Tillerson e Mike Pompeo (confirmados com 56 e 57 votos favoráveis, respetivamente).


O novo Presidente dos Estados Unidos assinou na quarta-feira uma dúzia de ações executivas, que rompem com decisões de Donald Trump, incluindo o regresso dos EUA aos Acordos de Paris.
EUA e UE juntam forças. Os czares do clima da Europa e dos EUA têm primeira reunião esta tarde
Horas após o regresso dos EUA ao Acordo de Paris, John Kerry e o comissário europeu Frans Timmermans discutem a participação dos dois blocos na COP26, em Glasgow, a grande conferência de ação climática.

Antes da votação, o líder dos senadores republicanos no Comité de Relações Exteriores, Jim Risch, manifestou a sua discordância sobre o regresso dos Estados Unidos ao acordo nuclear iraniano, pretendido pelo Presidente democrata e apoiado pelo seu chefe de diplomacia.

Contudo, Risch admitiu que, para além desta questão, “poucas foram as diferenças” que detetou entre as posições de Blinken e as opções por si defendidas, o que justificou o seu voto favorável.

“Precisamos de um secretário de Estado. Ele é a pessoa certa”, explicou o senador republicano.

O líder da maioria democrata no Senado, Chuck Schumer, também disse que Antony Blinken era “a pessoa certa para reforçar as prerrogativas da América no cenário mundial”.

“Ao longo de quatro anos, Donald Trump enfraqueceu as nossas alianças, encorajou os nossos adversários e manchou a reputação da América no exterior. Devemos reafirmar o nosso compromisso com a NATO e com outras alianças”, acrescentou Schumer.

Antony Blinken tinha prometido, durante a sua audiência perante os senadores, na semana passada, “recuperar” as alianças abandonadas pelo ex-Presidente republicano e trazer os Estados Unidos “para a linha de frente”, após a política republicana de unilateralismo e de distância relativamente aos aliados tradicionais.

Blinken também conseguiu a aprovação de vários senadores republicanos quando admitiu que Donald Trump esteve “correto, ao assumir uma posição mais forte contra a China”, indicando que não tenciona alterar o rumo de confronto com o regime de Pequim.

Antony Blinken, de 58 anos, é o 71.º secretário de Estado, depois de ter servido como conselheiro adjunto de Segurança Nacional (2013-2015) e como secretário de Estado adjunto (2015-2017), na Presidência de Barack Obama.

Antes, na Presidência de Bill Clinton, Blinken já tinha trabalhado em posições seniores no Departamento de Estado, depois de ter trabalhado no setor privado em firmas de consultoria.

O Senado está neste momento a analisar e a votar diversos nomes indicados pelo Presidente Biden, validando as escolhas para o novo Governo democrata.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Morreu o herói republicano que não podia com Trump
O senador norte-americano John McCain morreu no sábado com 81 anos, vítima de um cancro no cérebro. Piloto de caça, prisioneiro no Vietname quando o seu avião foi abatido, foi recebido como um herói quando foi libertado. Sobre ele escreveu no Twitter Donald Trump: "não acho que seja um herói, para mim os heróis não se deixam apanhar".