Escolha as suas informações

Salvini aumenta pressão sobre governo italiano
Mundo 08.08.2019

Salvini aumenta pressão sobre governo italiano

Salvini aumenta pressão sobre governo italiano

Foto: AFP
Mundo 08.08.2019

Salvini aumenta pressão sobre governo italiano

“Como num casamento, se se passa mais tempo a discutir e a trocar insultos do que a fazer amor, o melhor é olhar nos olhos e tomar uma decisão adulta”, afirmou Salvini, acrescentando que as decisões poderiam ser tomadas “nas próximas horas”.

O vice-primeiro-ministro italiano e líder do Liga, Matteo Salvini, tem aumentado a pressão sobre a viabilidade da coligação governamental em Itália. E o primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte esteve hoje reunido com o presidente, Sergio Matarella.

Conte e Matarella – que tem o poder para dissolver o parlamento – encontraram-se durante uma hora, de acordo com a agência noticiosa Ansa, citada pela Bloomberg. Segundo a mesma fonte, a crise governamental e a demissão de Conte não foram abordados durante a conversa.

Salvini tem avisado o seu parceiro de coligação - o movimento 5 Estrelas - que, se não apoiar as suas propostas, retirará o apoio ao governo.

“Não sou de meias medidas: ou podemos fazer as coisas por inteiro, e bem, ou não sou daqueles que se agarra ao seu assento”, avisou Salvini na quarta-feira. “Alguma coisa se quebrou nos últimos meses”, afirmou ainda referindo-se à coligação.

Os apoiantes de Salvini têm feito pressão, para que o responsável abandone a coligação, numa altura em que surgem sondagens que lhe dão um apoio de 40%, percentagem que permitiria ao Liga governar sozinho.

Na quarta-feira à noite, Salvini reuniu com Conte e cancelou a sua presença em ações em praias de Roma, para reunir com conselheiros. Uma das pretensões do Liga é, segundo o jornal italiano Corriere della Sera citado pela Bloomberg, uma reforma governamental e a substituição de alguns ministros como o das Finanças, Giovanni Tria, e o dos Transportes, Danilo Toninelli.

Salvini negou que esteja apenas em busca de mais pastas ministeriais e afirmou que o o futuro “está nas mãos do povo italiano”.

“Como num casamento, se se passa mais tempo a discutir e a trocar insultos do que a fazer amor, o melhor é olhar nos olhos e tomar uma decisão adulta”, afirmou, acrescentando que as decisões poderiam ser tomadas “nas próximas horas”.


Notícias relacionadas