Escolha as suas informações

Rússia lança ataques nas regiões de Donbass
Mundo 2 min. 08.04.2022 Do nosso arquivo online
Guerra na Ucrânia

Rússia lança ataques nas regiões de Donbass

Guerra na Ucrânia

Rússia lança ataques nas regiões de Donbass

Foto: AFP
Mundo 2 min. 08.04.2022 Do nosso arquivo online
Guerra na Ucrânia

Rússia lança ataques nas regiões de Donbass

Lusa
Lusa
A Rússia lançou nas últimas 24 horas sete ataques nas regiões de Donetsk e Lugansk, no leste da Ucrânia, que foram repelidos, disse o Estado Maior do exército ucraniano.

Segundo o último relatório de guerra, as forças da Ucrânia destruíram quatro tanques, dois sistemas de artilharia, 10 unidades blindadas e 11 veículos russos.

O Estado Maior disse que os esforços da Rússia estão concentrados no leste da Ucrânia, nomeadamente no cerco do porto estratégico de Mariupol, no Mar de Azov, e numa ofensiva na cidade de Izyum, junto ao rio Donetsk, na região de Kharkiv.

Foto: AFP

As tropas russas continuam a bloquear a cidade de Kharkiv e a colocar minas para impedir "o avanço das tropas ucranianas", disse o relatório.

O governador da região de Kharkiv, Oleg Sinegubov, anunciou a morte de pelo menos 14 pessoas nas áreas residenciais de Saltivka e Oleksiivka, bem como num edifício da empresa Tractor Plant, que fabrica máquinas agrícolas.

De acordo com o Estado Maior do exército ucraniano, em Izyum, representantes da autoproclamada "República Popular de Donetsk estão a desempenhar as funções de "polícia" local e a realizar "verificações ilegais de documentos e registos de pessoas".


ONU suspende Rússia do Conselho dos Direitos Humanos.
Rússia suspensa do Conselho de Direitos Humanos da ONU
A resolução, apresentada pelos EUA e apoiada pela Ucrânia e outros aliados, obteve 93 votos a favor, 24 contra e 58 abstenções entre os 193 Estados-membros das Nações Unidas.

Na quinta-feira, o porta-voz da República Popular de Donetsk, Eduard Basurin, disse que os principais combates no centro de Mariupol tinham terminado e que "pouco a pouco" estavam a expulsar os ucranianos para a zona industrial de Azovstal, nos arredores da cidade. 

Em resposta, Oleksiy Arestovych, assessor do chefe do Gabinete do Presidente, disse numa conferência de imprensa em Kiev, disse que a Rússia havia retomado a ofensiva em Mariupol, mas que as tropas ucranianas estavam a resistir.

Odessa na mira

As autoridades de Odessa denunciaram na quinta-feira um ataque de mísseis disparados do mar contra instalações na cidade do sul da Ucrânia, segundo a imprensa ucraniana.

O coronel Vladislav Nazarov, oficial do Comando Operacional Sul da Ucrânia, confirmou o ataque, que tinha sido anunciado pela autarquia de Odessa na plataforma Telegram. As autoridades não revelaram se o ataque causou vítimas ou feridos nem a extensão dos danos causados pelos ataques.


Josep Borrell
"Mais armas, menos aplausos". UE defende envio de mais material de guerra para a Ucrânia
O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, também já tinha dito que iria pedir o envio de mais armamento, nas reuniões marcadas para hoje com aliados da NATO em Bruxelas.

O chefe da administração militar regional de Odessa, Maxim Marchenko, revelou a apreensão de vários navios russos no estaleiro de Izmail, uma cidade perto de Odessa junto ao rio Danúbio.

Segundo a agência de notícias Ukrinform, os restantes barcos russos que se encontravam no estaleiro "partiram de imediato".

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O ataque de mísseis na manhã de hoje a uma refinaria em Odessa não causou vítimas, até ao momento, disse, por seu lado, o coronel Vladislav Nazarov, do Comando de Operações Sul do Exército da Ucrânia.
Imagens do ataque à refinaria de Odessa.