Escolha as suas informações

Rússia expulsa dois diplomatas finlandeses e deixa Conselho do Mar Báltico
Mundo 17.05.2022
Guerra na Ucrânia

Rússia expulsa dois diplomatas finlandeses e deixa Conselho do Mar Báltico

Medida foi anunciada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, tutelado por Serguei Lavrov.
Guerra na Ucrânia

Rússia expulsa dois diplomatas finlandeses e deixa Conselho do Mar Báltico

Medida foi anunciada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, tutelado por Serguei Lavrov.
Foto: AFP
Mundo 17.05.2022
Guerra na Ucrânia

Rússia expulsa dois diplomatas finlandeses e deixa Conselho do Mar Báltico

AFP
AFP
A Rússia decidiu expulsar dois diplomatas finlandeses do país como retaliação por uma medida semelhante tomada por Helsínquia e retirar-se do Conselho dos Estados do Mar Báltico, disse o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo numa declaração esta terça-feira.

O embaixador finlandês foi convocado para uma reunião no Ministério dos Negócios Estrangeiros russo esta terça-feira, segundo a declaração. Durante a reunião, a diplomacia russa "protestou fortemente" contra a expulsão de dois funcionários da embaixada russa na Finlândia.


Membros da MPK, a Associação Nacional de Formação de Defesa da Finlândia, numa formação na base militar de Santahamina, em Helsínquia.
Cidadãos finlandeses recebem treino militar para responder a ameaça russa
Ao contrário da maioria dos países europeus, o serviço militar é obrigatório para os homens na Finlândia.

"O embaixador foi informado de que, em resposta às ações das autoridades finlandesas, o lado russo decidiu proibir a estadia de dois membros do pessoal da embaixada finlandesa", acrescentou a diplomacia russa.

A ofensiva russa na Ucrânia, que teve início do dia 24 de fevereiro, provocou uma onda de condenação internacional e um conjunto de sanções à Rússia, acompanhada da expulsão de centenas de diplomatas russos por países ocidentais.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros também anunciou que decidiu deixar o Conselho dos Estados do Mar Báltico (CBSS), um fórum regional criado entre 1989 e 1992, afirmando que os países ocidentais tinham "monopolizado este conselho para os seus próprios objetivos a curto prazo, em detrimento da Rússia". 

O Conselho do Mar Báltico, com sede em Estocolmo, foi criado por iniciativa da Dinamarca e da Alemanha no final da Guerra Fria para promover a estabilidade e a segurança, bem como a cooperação económica em torno do Mar Báltico. 


Putin diz que alargamento da NATO só é problema com colocação de armas
O presidente russo, Vladimir Putin, assegurou hoje que a adesão à NATO da Finlândia e da Suécia não é um problema para a Rússia, mas que passará a sê-lo se incluir a colocação de armas no território desses países.

"Consideramos a presença do nosso país no CBSS inadequada e contraproducente", escreveu a diplomacia russa, indicando que o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergey Lavrov, tinha informado os seus homólogos de que o seu país iria abandonar o organismo. 

A Finlândia anunciou no domingo o seu pedido "histórico" de adesão à NATO como resultado direto da invasão russa da Ucrânia, uma decisão seguida pouco depois pela Suécia.

Na segunda-feira, o presidente russo Vladimir Putin avisou que Moscovo iria reagir ao "destacamento de infraestruturas militares" da NATO para estes dois países. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas