Escolha as suas informações

Rússia e Alemanha devem continuar a dialogar apesar das suas diferenças
Mundo 20.08.2021 Do nosso arquivo online
Alemanha-Rússia

Rússia e Alemanha devem continuar a dialogar apesar das suas diferenças

Alemanha-Rússia

Rússia e Alemanha devem continuar a dialogar apesar das suas diferenças

AFP
Mundo 20.08.2021 Do nosso arquivo online
Alemanha-Rússia

Rússia e Alemanha devem continuar a dialogar apesar das suas diferenças

A chanceler alemã, Angela Merkel, encontrou-se esta sexta-feira com o Presidente russo Vladimir Putin, em Moscovo, naquela que deve ser a última visita no cargo que desempenha desde 2005.

Angela Merkel defendeu a continuação do diálogo com a Rússia, apesar das “profundas diferenças”, na sua última visita ao país antes de abandonar o cargo no outono.

“Ainda que tenhamos diferenças profundas, falamo-nos e assim deve continuar”, disse a chefe do Governo alemão, dirigindo-se ao Presidente russo, Vladimir Putin, no Kremlin.

Merkel não fez alusão, nos primeiros minutos do encontro, ao caso de Alexei Navalny, cujo envenenamento, pelo qual o opositor russo e o ocidente responsabilizam o poder, ocorreu há precisamente um ano.

Berlim recebeu Navalny quando ele estava em coma, há um ano, e foram os cientistas do exército alemão que identificaram o veneno utilizado, uma substância neurotóxica desenvolvida pelos militares soviéticos.

A Rússia rejeitou todas as acusações e criticou fortemente a Alemanha, acusada de ‘russofobia’ e até de ter tramado o envenenamento.

Mas Vladimir Putin teve sempre o cuidado de não atacar Angela Merkel, que conhece desde que ela assumiu o poder, em 2005.

A Alemanha “continua a ser um dos nossos principais parceiros, na Europa, no mundo, em tudo. E isso graças a si em particular”, disse hoje o Presidente russo à chanceler.

Os dois dirigentes têm prevista uma conferência de imprensa conjunta após o encontro, onde deverão discutir a situação no Afeganistão e na Líbia, o conflito na Ucrânia, a repressão na Bielorrússia, além das relações bilaterais.

Com Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Os serviços prisionais russos (FSIN) detiveram hoje o opositor russo Alexei Navalny à chegada a Moscovo, acusando-o de ter violado os termos de uma pena de prisão suspensa a que foi condenado em 2014.