Escolha as suas informações

Rússia deixa de fornecer eletricidade à Finlândia a partir de sábado
Mundo 13.05.2022
Guerra na Ucrânia

Rússia deixa de fornecer eletricidade à Finlândia a partir de sábado

Guerra na Ucrânia

Rússia deixa de fornecer eletricidade à Finlândia a partir de sábado

Foto: AFP
Mundo 13.05.2022
Guerra na Ucrânia

Rússia deixa de fornecer eletricidade à Finlândia a partir de sábado

Lusa
Lusa
Na quinta-feira, a Finlândia – que tem uma longa fronteira com a Rússia - anunciou o desejo de passar a integrar a NATO, devendo formalizar o pedido de adesão no domingo.

A Rússia vai suspender as entregas de eletricidade para a Finlândia a partir de sábado, devido a contas não pagas, anunciou hoje o fornecedor RAO Nordic Oy, que detém a empresa russa InterRAO.

O anúncio do corte de fornecimento ocorre num cenário de crescente tensão entre Moscovo e Helsínquia, que anunciou esta semana a intenção de aderir à NATO, uma decisão de imediato criticada pelo Kremlin, que ameaçou com retaliações.


Rússia alerta NATO para risco de guerra nuclear total
O alerta, feito pelo vice-presidente do Conselho de Segurança russo, Dmitri Medvedev, surgiu no dia em que o Presidente e a primeira-ministra finlandeses divulgaram o seu apoio à adesão da Finlândia à Organização do Tratado do Atlântico Norte.

A RAO Nordic Oy, com sede em Helsínquia, não recebe pagamentos pela eletricidade fornecida à Finlândia desde 06 de maio, disse o grupo em comunicado, alegando a falta de meios financeiros para continuar a receber eletricidade importada da Rússia.

"Esta situação é excecional e ocorre pela primeira vez em mais de 20 anos", acrescentou a empresa, explicando que está obrigada a "suspender a importação de eletricidade a partir de 14 de maio”.

“Esperamos que a situação melhore em breve” e que as entregas da Rússia sejam retomadas, conclui a empresa.

Principal importador de eletricidade da Rússia para os mercados nórdicos, a RAO Nordic opera na União Europeia desde 2002.


Medidas de retaliação. Rússia ameaça Finlândia se aderir à NATO
A Rússia avisou esta quinta-feira a Finlândia de que será forçada a tomar medidas de retaliação, “tanto técnico-militares como outras”, se violar as suas obrigações jurídicas internacionais e aderir à NATO.

Na sequência do anúncio, a operadora da rede elétrica finlandesa, Fingrid, garantiu que pode prescindir das importações de energia da Rússia.

"Estávamos preparados para isso e não será difícil. Podemos compensar com um pouco mais de importações da Suécia e da Noruega", disse à AFP Timo Kaukonen, gerente de operações da operadora Fingrid.

Na quinta-feira, a Finlândia – que tem uma longa fronteira com a Rússia - anunciou o desejo de passar a integrar a NATO, devendo formalizar o pedido de adesão no domingo.

O Kremlin já disse que a entrada da Finlândia na NATO constituiu uma ameaça e que será forçada a “tomar medidas recíprocas, tecno-militares e outras”, para responder ao que considera ser uma “ameaça à segurança nacional”.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O país nórdico anunciou este domingo a apresentação da sua candidatura à aliança atlântica. Na terça-feira, antes de anunciar formalmente o pedido de adesão à aliança, o presidente finlandês falou com o homólogo russo Vladimir Putin para o informar da candidatura do seu país.
O presidente Sauli Niinistö e a primeira-ministra Sanna Marin (esquerda)