Escolha as suas informações

Restrições até "20 de dezembro" na Alemanha
Mundo 2 min. 26.11.2020

Restrições até "20 de dezembro" na Alemanha

Restrições até "20 de dezembro" na Alemanha

Foto: AFP
Mundo 2 min. 26.11.2020

Restrições até "20 de dezembro" na Alemanha

Teresa CAMARÃO
Teresa CAMARÃO
Com a exceção do Natal em vista, a Alemanha pretender manter o confinamento parcial até 20 de dezembro. Para já, decidiu que as reuniões familiares estão limitadas a 10 pessoas, embora Merkel mantenha as festas em aberto.

Em vigor há praticamente um mês, desde 2 de novembro, o confinamento parcial é mesmo para continuar na Alemanha. Depois de, numa maratona de quase oito horas em reunião com as autoridades regionais, Angela Merkel assinou o decreto que explica esta quinta-feira no Bundestag, em Berlim. Pelo menos até 20 de dezembro as restrições são para manter. 

O objetivo é salvar o Natal que, num ano atípico, se espera em tamanho reduzido. Com o alargamento do período excecional, a Alemanha espera conseguir reduzir o número de casos abaixo dos 50 por 100 mil habitantes. No país já foram diagnosticados, desde o início da pandemia, 952.439 casos de covid-19. Cerca de 15 mil pessoas morreram

Fechar para abrir uns dias

Para já, sabe-se apenas que as reuniões familiares durante a época festiva deverão estar limitadas a 10 pessoas. Uma espécie de prenda, já que até lá, os alemães só estão autorizados a confraternizar em grupos de cinco participantes. Longe do fim da pandemia, Merkel diz que o país deve "ainda fazer esforços, porque a taxa de infeções ainda é demasiado elevada".

Sempre em contacto com as autoridades de saúde - nomeadamente o Instituto Robert Koch - que, ao contrário do que acontece em Portugal, elaboram os planos de ação que o governo tem o dever de discutir não só com os representantes federais como os representantes de cada estado. 

Além do ajuste no calendário, ficou ainda decidido que as habituais concentrações nas ruas e os fogos de artifício do Ano Novo devem ser desencorajados. A recomendação do teletrabalho continua. Assim como a limitação no acesso aos espaços comerciais que, na semana que antecede o Natal, deverá ser ainda mais apertada. 

Para responder à crise, o governo está a preparar um pacote de 17 mil milhões de euros para apoiar o comércio, que vai sofrer com o encerramento durante as semanas que antecedem o Natal. Este apoio junta-se aos 15 mil milhões já previstos para o confinamento de novembro. Restaurantes, bares, recintos desportivos e instalações destinadas ao lazer também podem solicitar apoio às finanças. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Europa ainda não sabe o que fazer com o Natal
Os governos da Europa estão a adiar decisões sobre as celebrações do Natal e do Ano Novo, com poucos ainda desejosos de dizer exatamente o que será permitido. Mas uma coisa é certa: não será igual aos outros anos.