Escolha as suas informações

Reino Unido impõe sanções a três oligarcas e cinco bancos russos
Mundo 22.02.2022 Do nosso arquivo online
Tensão

Reino Unido impõe sanções a três oligarcas e cinco bancos russos

Tensão

Reino Unido impõe sanções a três oligarcas e cinco bancos russos

Foto: AFP
Mundo 22.02.2022 Do nosso arquivo online
Tensão

Reino Unido impõe sanções a três oligarcas e cinco bancos russos

Lusa
Lusa
Reino Unido anunciou sanções contra três oligarcas conhecidos por serem próximos do Presidente russo, Vladimir Putin, e contra cinco bancos russos, em retaliação ao reconhecimento de Moscovo das regiões separatistas de Lugansk e Donetsk, no leste ucraniano.

Os multimilionários visados são Gennady Timchenko, Boris Rotenberg e o sobrinho deste último, Igor Rotenberg, revelou o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, no Parlamento. 

Johnson avisou ter outras sanções "prontas" para serem introduzidas juntamente com os Estados Unidos e a União Europeia (UE) se o conflito continuar a escalar. "Esta é a primeira parcela, a primeira carga do que estamos preparados para fazer e temos mais sanções prontas para serem impostas", afirmou.

Gennady Timchenko (esquerda) e Boris Rotenberg (direita)
Gennady Timchenko (esquerda) e Boris Rotenberg (direita)
AFP

O pacote de sanções foi anunciado depois de uma reunião de emergência de ministros e altos funcionários, realizada hoje de manhã, no chamado comité de segurança Cobra.


Resposta à Rússia. Alemanha trava autorização do gasoduto Nord Stream 2
Gasoduto iria ligar a Rússia à Alemanha. União Europeia estuda mais sanções concertadas ao regime de Putin que reconheceu na segunda-feira a independência dos territórios ucranianos separatistas pró-Rússia.

A ministra dos Negócios Estrangeiros, Liz Truss, adiantou também que o embaixador da Rússia no Reino Unido, Andrei Kelin, foi chamado "para explicar a violação do direito internacional pela Rússia e o desrespeito à soberania da Ucrânia".

O chefe do Governo britânico disse aos deputados antecipar uma "longa crise" na Ucrânia tendo em conta que Putin ordenou o envio de tropas para alegadas operações de "manutenção da paz" nas regiões de Donetsk e Lugansk. "Não posso dizer o que acontecerá nos próximos dias, mas devemos esperar uma longa crise", disse Boris Johnson.


Militar ucraniano na linha da frente perto da cidade de Novoluhanske, no leste da Ucrânia, a 19 de fevereiro de 2022.
Rússia contra Ucrânia. Afinal, como é que Putin foi preparando a invasão?
Vladimir Putin anunciou na quinta-feira o início de uma operação militar na Ucrânia. Desde então, há registos de confrontos em vários locais do país e baixas dos dois lados.

Em 2014, a Rússia anexou a península ucraniana da Crimeia, depois da queda do Governo pró-russo em Kiev, e elaborou um referendo sobre o regresso do território à Federação Russa. Desde então, Kiev está em conflito com separatistas pró-russos no leste do país.

A guerra no leste da Ucrânia entre as forças de Kiev e separatistas pró-Rússia fizeram até ao momento mais de 14 mil mortos, de acordo com as Nações Unidas.

O Presidente russo, Vladimir Putin, assinou, na segunda-feira à noite, um decreto que reconhece as regiões separatistas de Lugansk e de Donetsk, no Donbass (leste), e ordenou a entrada das forças armadas russas naqueles territórios ucranianos numa missão de "manutenção da paz".


O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas