Escolha as suas informações

Registada explosão em petroleiro iraniano junto à costa da Arábia Saudita
Mundo 11.10.2019

Registada explosão em petroleiro iraniano junto à costa da Arábia Saudita

Registada explosão em petroleiro iraniano junto à costa da Arábia Saudita

Foto: AFP
Mundo 11.10.2019

Registada explosão em petroleiro iraniano junto à costa da Arábia Saudita

Bruno AMARAL DE CARVALHO
Bruno AMARAL DE CARVALHO
Uma explosão danificou hoje um petroleiro iraniano na costa da Arábia Saudita, noticiaram a imprensa daquele país, entre eles a agência de notícias estatal IRNA.

Um petroleiro iraniano sofreu esta manhã duas explosões que a Companhia Nacional de Petróleo do Irão (NIOC), proprietária do navio, atribui a um ataque com mísseis, afirmou a agência estatal de notícias IRNA. O navio, identificado como Sabiti, estava no Mar Vermelho a cem quilómetros da costa de Jeddah, Arábia Saudita. Contudo, o porta-voz dos Negócios Estrangeiros iranianos, Abbas Mousavi, condenou o ataque sem especificar a sua causa.

"As [primeiras] investigações indicam que o petroleiro foi atingido duas vezes num intervalo de meia hora a leste do Mar Vermelho", disse Mousavi antes de acrescentar que a tripulação estava segura e que a situação estava sob controle. Também lamentou o derramamento de óleo pelo qual culpou "aqueles por trás do ataque", sem dar mais detalhes.

A televisão estatal avançou que a explosão causou um rombo em dois depósitos a bordo do navio e causou o derrame de petróleo na costa de Jidah, no Mar Vermelho.

O incidente acontece depois dos EUA alegarem que o Irão atacou petroleiros perto do Estreito de Ormuz.

A explosão pode elevar ainda mais as tensões entre o Irão e os EUA, mais de um ano depois do Presidente norte-americano, Donald Trump, ter decidido retirar os Estados Unidos do acordo nuclear e imposto sanções que têm afetado a economia iraniana.

Ataques a petroleiros perto do Estreito de Hormuz, no Irão, o abate de um drone de vigilância militar dos EUA e outros incidentes em todo o Oriente Médio seguiram-se à decisão de Trump.

O ataque mais recente afetou a indústria petrolífera saudita, reduzindo para metade a produção daquele reino.

Os EUA culparam o Irão pelo ataque, algo negado por Teerão.

Os rebeldes houthis do Iémen, contra os quais a Arábia Saudita está a lutar numa guerra que dura há já um ano, reivindicaram o ataque, embora analistas assegurem que os mísseis usados no ataque não poderiam ter sido lançados a partir do Iémen.

Com Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas