Escolha as suas informações

Redes de telemóveis podem ser afetadas por falhas de energia
Mundo 2 min. 29.09.2022
Crise energética

Redes de telemóveis podem ser afetadas por falhas de energia

Crise energética

Redes de telemóveis podem ser afetadas por falhas de energia

Foto: AFP
Mundo 2 min. 29.09.2022
Crise energética

Redes de telemóveis podem ser afetadas por falhas de energia

Maria MONTEIRO
Maria MONTEIRO
À Reuters, os executivos de telecomunicações admitem que as perturbações causadas por falhas gerais de energia, decorrentes de um eventual racionamento no inverno são uma possibilidade real.

Nos últimos meses, os receios de uma escassez geral de energia têm-se multiplicado, muito por causa dos sucessivos cortes no fornecimento do gás russo à Europa e, mais recentemente, às fugas de gás verificadas nos gasodutos Nord Stream, que a Comissão Europeia caraterizou como "atos de sabotagem".


Imagem captada do vídeo da Gazprom de uma Europa congelada, sem gás russo.
Vídeo da russa Gazprom mostra Europa congelada pelo corte de gás
Veja as imagens que mostram várias cidades geladas devido ao corte do gás russo. "Congelem, congelem", diz Putin, ameaçando cortar o abastecimento energético.

Se, de facto, o inverno trouxer, como muitos temem, um corte total do fornecimento de gás russo e, consequentemente, levar a falhas de energia frequentes, a infraestrutura europeia de telecomunicações pode ser afetada, de acordo com fontes da indústria citadas esta quinta-feira pela agência noticiosa Reuters.

Segundo estes responsáveis, "muitos países europeus não têm sistemas de backup suficientes para lidar com falhas de energia generalizadas, o que aumenta a possibilidade de existirem falhas nos telemóveis". Nesse sentido, alguns dos países da UE, como França, Alemanha e Suécia, estão a tentar precaver-se para assegurar a continuidade das comunicações.

Operadores devem tornar redes eficientes

Em França, a distribuidora Enedis está preparada para enfrentar um cenário potencial de apagão de até duas horas e, segundo a Reuters, conseguiu isolar secções da rede para fornecer clientes essenciais, como hospitais, grandes indústrias, serviços policiais, militares e governamentais. Os responsáveis afirmam que "os apagões gerais só afetarão partes do país numa base rotativa". 


Funchal, Madeira, 2020
Crise energética em Portugal. Menos iluminação no Natal e mais teletrabalho
O governo português anunciou hoje o plano de poupança de energia 2022-2023 que vai implementar ao longo dos próximos meses.

Na Suécia, o regulador das telecomunicações PTS diz estar a trabalhar com operadores e agências governamentais para encontrar soluções. Segundo a Reuters, um porta-voz disse que a empresa está a financiar a compra de estações portáteis de gás e estações móveis de base para dar resposta a cortes de energia mais prolongados.

Os quatro executivos de telecomunicações que falaram à Reuters consideram que os operadores europeus devem rever as suas redes móveis para "reduzir a utilização adicional de energia e atualizar os seus dispositivos com designs sem fios mais eficientes a nível energético".

Baterias de reserva duram apenas 30 minutos

Na Alemanha, a Deutsche Telekom deverá recorrer sobretudo a sistemas móveis energéticos de emergência a diesel, no caso de uma interrupção prolongada, já que, normalmente, os sistemas só conseguem aguentar com algumas das suas 33.000 torres de rádio móvel.

O fornecimento ininterrupto de energia, que tem sido uma realidade há décadas, poderá deixar de estar garantido nos próximos meses. "Podemos estar tramados em vários sítios da Europa onde a eletricidade é praticamente estável e boa", constatou um dos executivos do setor.


Gasoduto ibérico. França disponível para "revisitar" interligações de energia
O plano recebeu o apoio da Alemanha, nomeadamente do chanceler Olaf Scholz, mas o presidente francês Emmanuel Macron disse que para a França este investimento não é prioritário.

Existe quase meio milhão de torres de telecomunicações na Europa. A maioria tem baterias de reserva para alimentar as antenas portáteis que duram cerca de 30 minutos.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.