Escolha as suas informações

ONU quer distribuição de pelo menos 200 mil refugiados na UE
Mundo 04.09.2015 Do nosso arquivo online
Quotas obrigatórias

ONU quer distribuição de pelo menos 200 mil refugiados na UE

Quotas obrigatórias

ONU quer distribuição de pelo menos 200 mil refugiados na UE

REUTERS
Mundo 04.09.2015 Do nosso arquivo online
Quotas obrigatórias

ONU quer distribuição de pelo menos 200 mil refugiados na UE

O alto comissário das Nações Unidas para os refugiados, António Guterres, apelou hoje à distribuição de pelo menos 200.000 refugiados, defendendo que todos os estados-membros deviam ter a obrigação de participar neste programa.

O alto comissário das Nações Unidas para os refugiados, António Guterres, apelou hoje à distribuição de pelo menos 200.000 refugiados, defendendo que todos os estados-membros deviam ter a obrigação de participar neste programa.

“As pessoas que fazem um pedido de protecção válido (…) devem de seguida beneficiar de um programa de reinstalação em massa, com a participação obrigatória de todos os estados membros da União Europeia.

Uma estimativa bastante preliminar parece indicar a necessidade de aumentar as oportunidades de reinstalação até 200.000 lugares”, escreveu António Guterres em comunicado.

Na quinta-feira, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, apelou aos Estados-membros da União Europeia (UE) para aceitarem pelo menos 100 mil refugiados, de modo a aliviar a pressão nos países da chamada ‘linha da frente’.

Também na quinta-feira, fontes comunitárias revelaram que o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, vai apresentar medidas de resposta à situação causada pela chegada de refugiados na próxima quarta-feira, durante o discurso sobre o estado da União.

A Comissão Europeia vai também pedir que os Estados membros dividam entre si os 120 mil refugiados que se encontram na Hungria, Grécia e Itália.

O plano do Executivo comunitário, que ainda é uma proposta sujeita a mudanças, sugere que estes 120 mil refugiados sejam acrescentados aos 32.256 que os Estados membros da UE se tinham comprometido a acolher em Julho último.

Em relação a uma proposta anterior, a nova versão beneficia a Hungria, país que muitos refugiados pretendem cruzar para realizarem o objectivo de chegarem à Alemanha, para além da Grécia e Itália, os Estados mais afectados pela situação.

O plano da Comissão vai ser examinado na sexta-feira pelos chefes dos governos checo, eslovaco, polaco e húngaro, que integram o designado Grupo de Visegrado, durante uma reunião em Praga, para acordarem uma posição comum contrária às quotas obrigatórias na distribuição dos refugiados que chegam à UE.


Notícias relacionadas

O Luxemburgo vai receber 440 refugiados, segundo a recolocação de mais 120 mil pessoas por todos os estados membros anunciada hoje pelo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, no Parlamento Europeu, em Estrasburgo.
Os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia, reunidos no Luxemburgo desde sexta-feira no tradicional encontro informal de 'rentrée', vão discutir hoje a crise migratória e de refugiados, que tem dividido os Estados-membros.
Rui Machete, o ministro português está no Luxemburgo