Escolha as suas informações

Putin. Operação militar russa na Ucrânia é um "sucesso"
Mundo 16.03.2022 Do nosso arquivo online
Guerra na Ucrânia

Putin. Operação militar russa na Ucrânia é um "sucesso"

Guerra na Ucrânia

Putin. Operação militar russa na Ucrânia é um "sucesso"

AFP
Mundo 16.03.2022 Do nosso arquivo online
Guerra na Ucrânia

Putin. Operação militar russa na Ucrânia é um "sucesso"

AFP
AFP
O presidente russo garantiu ainda que sanções são "desculpa" e fazem parte de uma campanha para "enfraquecer" Moscovo.

O Presidente Vladimir Putin disse esta quarta-feira a uma televisão russa que a sua operação militar na Ucrânia é um "sucesso", contrariando uma análise generalizada de que teria perdido o controlo da situação.  

"A operação está a ser realizada com sucesso, em estrita conformidade com os planos pré-estabelecidos", avançou Putin, para além de reafirmar que não tinha qualquer intenção de "ocupar" o país, mas que todas as opções diplomáticas tinham sido esgotadas. 


Zelensky diz que Rússia já perdeu mais do que nas guerras do Cáucaso
"Em breve, o número de helicópteros russos derrubados vai chegar às centenas. Já perderam 80 aviões de combate, centenas de tanques e equipamentos, aos milhares", acrescenta o presidente ucraniano.

"Simplesmente não tínhamos quaisquer opções para resolver o problema pacificamente", afirmou o presidente russo citado pela AFP. Ainda acrescentou que tinham "todas as razões para acreditar que componentes de armas biológicas" estavam a ser desenvolvidas em território ucraniano. 

Putin disse que a Ucrânia estava "a preparar-se para um cenário violento" e que o início de uma ofensiva ucraniana contra Donbass e a Crimeia, um território anexado por Moscovo em 2014, era "apenas uma questão de tempo". "Não tínhamos outra opção para nos defendermos, porque não permitiremos que a Ucrânia seja usada como ponte para ações agressivas contra a Rússia", afirmou. 

Sanções são "desculpa" 


Na última sexta-feira, o Kremlin incentivou a participação, ao lado dos militares russos, de voluntários na invasão ao território ucraniano.
ONG diz que Rússia tem 40 mil sírios preparados para integrar invasão à Ucrânia
Na última sexta-feira, o Kremlin incentivou a participação, ao lado dos militares russos, de voluntários na invasão ao território ucraniano.

Em relação aos pacotes de sanções contra a Rússia e os seus aliados, nomeadamente os oligarcas russos que moram fora do país, Putin acredita que a operação na Ucrânia "é apenas uma desculpa para o Ocidente impor novas sanções", denunciando uma "estratégia consciente e a longo prazo" destinada a "conter e enfraquecer" Moscovo. 

 "Tais movimentos têm todas as características da agressão", argumentou, acusando o Ocidente de querer fazer da Rússia "um país fraco e dependente". 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse, durante uma entrevista televisiva na segunda-feira, que não vai insistir na adesão da Ucrânia à NATO, uma das questões que motivaram oficialmente a invasão russa.