Escolha as suas informações

Putin aceita inspeção à central nuclear de Zaporijia
Mundo 2 min. 19.08.2022
Guerra na Ucrânia

Putin aceita inspeção à central nuclear de Zaporijia

Imagem de satélite mostra o complexo nuclear situado na área de Enerhodar, no leste da Ucrânia, esta sexta-feira
Guerra na Ucrânia

Putin aceita inspeção à central nuclear de Zaporijia

Imagem de satélite mostra o complexo nuclear situado na área de Enerhodar, no leste da Ucrânia, esta sexta-feira
Foto: Maxar Technologies/AFP
Mundo 2 min. 19.08.2022
Guerra na Ucrânia

Putin aceita inspeção à central nuclear de Zaporijia

Lusa
Lusa
O presidente russo aceitou que uma missão da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) passasse por território ucraniano.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, aceitou que uma missão da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) à central nuclear de Zaporijia, controlada pelos militares russos, passe pela Ucrânia, anunciou esta sexta-feira o Palácio do Eliseu.


Rafael Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atómica.
Central nuclear de Zaporíjia está descontrolada, avisa AIEA
O diretor da Agência Internacional de Energia Atómica pediu à Rússia e Ucrânia que permitam uma visita urgente para evitar um acidente.

Putin concordou em “rever a exigência inicial de Moscovo” de que tal missão passasse pela Rússia, adiantou a Presidência francesa após Emmanuel Macron ter conversado com o seu homólogo russo por telefone, pela primeira vez desde 28 de maio.

“Aceitou que ela [vá lá] com respeito à soberania ucraniana e, portanto, passe pela Ucrânia sob controlo do Governo”, acrescentou o Eliseu, enfatizando que era uma exigência de Kiev e de Paris.

“É completamente necessário, legítimo, essencial por razões de soberania ucraniana”, sublinhou a Presidência francesa.

Local deve ser avaliado "o mais rápido possível"

Os presidentes russos e francês pediram, no final do diálogo, o planeamento de uma inspeção da central nuclear de Zaporijia pela AIEA para avaliar o local “o mais rápido possível”.

As forças russas controlam a central de Zaporijia, a maior do género na Europa, mas ambas as partes acusam-se mutuamente de ataques que podem provocar um desastre nuclear.


Guterres numa conferência de imprensa em Lviv, Ucrânia, ao lado do chefe de Estado ucraniano, Volodymyr Zelensky, e do Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.
Guterres. Danificar a usina nuclear de Zaporijia seria 'suicídio'
Secretário-geral da ONU pediu uma vez mais a "desmilitarização" da usina, ocupada pelo exército russo.

A Ucrânia tem quatro centrais nucleares em funcionamento, com um total de 15 reatores, seis dos quais em Zaporijia.

O envio de especialistas da AIEA também exigiria um “cessar-fogo”, “pelo menos durante a missão”, observou o Eliseu.

“A França está disposta a contribuir técnica e politicamente para o sucesso da missão, disponibilizando a sua experiência”, sublinhou a Presidência francesa.

Macron e Putin voltam a conversar nos próximos dias

A missão da AIEA “vai consistir em fazer uma avaliação na unidade de Zaporijia e depois determinar (…) as medidas a tomar para garantir a sua segurança”, acrescentou.

“Putin e Macron sublinharam a importância de enviar esta missão [da AIEA] para Zaporijia o mais rapidamente possível”, referiu o Kremlin, numa declaração citada pela agência noticiosa russa TASS.

A Rússia "confirmou que está pronta para prestar toda a assistência necessária aos inspetores da AIEA", segundo a mesma fonte.

A presidência francesa, por sua vez, declarou que Macron "apoiou o envio o mais rápido possível de uma missão de especialistas da AIEA, nas condições aprovadas pela Ucrânia e pelas Nações Unidas".


O presidente Erdogan numa conferência de imprensa após um encontro com o Presidente ucraniano e o Secretário-Geral da ONU em Lviv, esta quinta-feira
Presidente da Turquia alerta para risco de novo desastre nuclear
Erdogan encontrou-se esta quinta-feira com António Guterres e Volodymyr Zelensky.

Macron e Putin devem voltar a dialogar "nos próximos dias sobre o assunto [da central de Zaporijia], após contactos entre as equipas técnicas e antes do desdobramento da missão", segundo o Eliseu.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse na quinta-feira após um encontro com o secretário-geral da ONU, António Guterres, pretender que as Nações Unidas garantam a desmilitarização da central nuclear de Zaporijia.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas