Escolha as suas informações

Prisão e maus tratos a jornalista da BBC geram escalada de protestos na China
Mundo 28.11.2022
Manifestações

Prisão e maus tratos a jornalista da BBC geram escalada de protestos na China

Protestos são desencadeados sobretudo por jovens.
Manifestações

Prisão e maus tratos a jornalista da BBC geram escalada de protestos na China

Protestos são desencadeados sobretudo por jovens.
AFP
Mundo 28.11.2022
Manifestações

Prisão e maus tratos a jornalista da BBC geram escalada de protestos na China

Redação
Redação
As manifestações que estão a marcar os últimos dias em território chinês são as primeiras em larga escala desde os protestos pró-democracia de 1989, que resultaram em centenas de mortes.

O Reino Unido já se pronunciou contra a prisão e espancamento do jornalista da BBC, Ed Lawrence, durante os protestos deste fim de semana, em Xangai, contra a política "covid zero" que ainda vigora no país. "A liberdade de imprensa e a liberdade de manifestação devem ser respeitadas" e "nenhum país está isento", reagiu o Ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, James Cleverly.

Descrevendo a prisão de Ed Lawrence no Twitter como "profundamente preocupante", o chefe da diplomacia britânica salientou que "os jornalistas devem ser capazes de fazer o seu trabalho sem intimidações".  

Lawrence, que entretanto foi libertado, cobria as manifestações contra a repressão levada a cabo pelo Governo de Xi Jinping através da política "covid zero". Segundo a BBC, Lawrence foi "espancado e pontapeado pela polícia" antes de sair em liberdade. As imagens confirmam que a polícia chinesa usou a força para levar o repórter. 

A BBC disse que não tinha tido "nenhuma explicação oficial ou desculpa das autoridades chinesas, para além de uma afirmação dos funcionários, que mais tarde o libertaram, de que o tinham prendido para seu próprio bem, no caso de ter apanhado covid no meio da multidão". A estação televisiva disse que essa não era "uma explicação credível". 

Ed acrescentou ao comunicado da BBC que outro colega, um jornalista chinês, também foi detido depois de tentar travar a violência contra o colega.

Pequim disse esta segunda-feira que Lawrence não se tinha identificado como jornalista "e deliberadamente não apresentou a sua acreditação de imprensa", segundo Zhao Lijian, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chineses. 

A ONG Repórteres sem Fronteiras (RSF) condenou a detenção e manifestou o seu apoio a "todos aqueles que praticam o jornalismo baseado em factos na China". 

Os recentes protestos desencadeados sobretudo pelos jovens contra os confinamentos e restrições impostas pelas autoridades para combater a epidemia de coronavírus na China são os primeiros a marcar o país desde as manifestações pró-democracia que foram reprimidas em 1989 e resultaram em centenas de mortes. 


(Com agências*)

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.