Escolha as suas informações

Primeiro-ministro Tsipras apela a legislativas antecipadas na Grécia

Primeiro-ministro Tsipras apela a legislativas antecipadas na Grécia

Foto: AFP
Mundo 27.05.2019

Primeiro-ministro Tsipras apela a legislativas antecipadas na Grécia

A primeira chicotada psicológica depois das eleições, com o governo do Syriza a demitir-se e a convocar novas eleições. O partido de Tsipras foi derrotado pela Nova Democracia nas europeias.

 O primeiro-ministro grego Alexis Tsipras anunciou depois de conhecidos os resultados das europeias que vai apelar à realização de eleições legislativas antecipadas “imediatamente” após a segunda volta das municipais, em 02 de junho, após os maus resultados obtidos pelo Syriza no escrutínio europeu.

O Syriza, no poder desde 2015, foi ultrapassado em mais de oito pontos pela Nova Democracia (ND), a principal força de oposição de direita, segundo uma sondagem à saída das urnas e confirmada pelos resultados oficiais parciais.

Um estudo realizado logo após o encerramento das assembleias de voto às 19:00 locais (17:00 em Lisboa) indicava que a ND terá obtido entre 30,5% e 33,5%, enquanto o Syriza garantia de 25,5% a 28,5%.

A terceira posição é partilhada entre o partido neonazi Aurora Dourada (XA) e a nova aliança social-democrata Kinal, com origem no histórico Pasok, ambos com um resultado entre 6% e 8%.

O Partido Comunista (KKE) manteria o quinto lugar, ao registar entre 5% e 7%.

Com a hipótese de ultrapassar a barreira mínima dos 3% estariam ainda o Mera25, o partido do ex-ministro das Finanças Yanis Varoufakis, e o nacionalista Solução grega, ambos entre os 2,5% e os 3,5%.

A taxa de participação foi de 56,5%, semelhante à alcançada nas eleições legislativas de setembro de 2015, mas abaixo dos 59,97% das últimas europeias, de 2014.

A Grécia elege 21 dos 751 deputados do Parlamento Europeu.

As eleições europeias coincidiram com um escrutínio local e regional e são consideradas um importante teste para a gestão de Tsipras, que considerou estas votações como uma moção de confiança sobre as medidas sociais anunciadas após a saída do país do resgate negociado com os credores internacionais.

Durante a campanha, o primeiro-ministro tinha assinalado que nas eleições de hoje os cidadãos deveriam decidir que modelo político preferem, o da Grécia dos “muitos” que defende o Syriza ou das “elites”, uma posição na sua perspetiva defendida pelo líder conservador, Kyriakos Mitsotakis.

O dirigente da ND tinha vindo a exigir a convocação de eleições antecipadas em caso de vitória conservadora nas eleições de hoje.

Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Cómico ganha primeira volta das eleições presidenciais na Ucrânia
O comediante ucraniano Volodymyr Zelensky e o atual líder do país, Petro Poroshenko, foram hoje os candidatos mais votados nas eleições presidenciais, segundo as sondagens à boca das urnas, e irão disputar a segunda volta em 21 de abril. Resultado que é contestado pela ex primeira-ministra Yulia Timoshenko.