Escolha as suas informações

Primeiro-ministro canadiano pede desculpa por foto "racista"
Mundo 2 min. 19.09.2019

Primeiro-ministro canadiano pede desculpa por foto "racista"

Primeiro-ministro canadiano pede desculpa por foto "racista"

Foto: Time/AFP
Mundo 2 min. 19.09.2019

Primeiro-ministro canadiano pede desculpa por foto "racista"

Em 2001, mascarou-se de Aladino e pintou-se de negro. Agora, a um mês das eleições legislativas, a revista Time publicou uma fotografia do momento e obrigou Justin Trudeau a pedir desculpa.

O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, reconheceu na terça-feira que, em 2001, posou para uma fotografia disfarçado de Aladino, pintando-se de negro, uma imagem que ele próprio descreveu como "racista" e que surge a um mês das eleições legislativas. 

A imagem foi revelada pela revista Time, que obrigou Trudeau a reconhecer que a fotografia foi tirada em 2001 durante uma baile de máscaras numa prestigiada escola privada de Vancouver, onde ele era professor. Na fotografia, Trudeau aparece sorridente, vestido com roupas orientais e com um turbante na cabeça, a pele pintada de preto e rodeado por quatro mulheres. 

O primeiro-ministro canadiano, então com 29 anos, é o único com pele escura. Depois da publicação da imagem, Trudeau, que se encontra em plena campanha eleitoral para as eleições legislativas, que se realizam a 21 de outubro, foi obrigado a falar à imprensa para declarar que "lamenta profundamente" ter-se disfarçado com o rosto pintado.

"Em 2001, quando eu era professor em Vancouver, fui a uma festa. O tema era As mil e uma noites e disfarcei-me de Aladino. Pintei-me e não devia. Eu deveria saber que não era adequado mas fi-lo e sinto muito", disse Trudeau. Questionado pelos meios de comunicação social, Trudeau reconheceu que a imagem é "racista", embora não a tenha considerado "racista na altura".

Na América do Norte, há várias décadas que são considerados racistas os brancos que pintam o seu rosto de negro. Trudeau recusou-se a responder se achava que devia renunciar, uma vez que outros candidatos às eleições tiveram que renunciar depois descobertas antigas mensagens racistas nas redes sociais.

Trudeau também reconheceu que não foi a única vez que se disfarçou e se "pintou" como uma pessoa de outra cor. "Quando andava no liceu, disfarcei-me numa atuação”, disse Trudeau. Questionado sobre o que tinha a dizer ao eleitorado, o primeiro-ministro canadiano afirmou que pede perdão aos canadianos: "Era algo estúpido que não queria ter feito, mas que fiz e pelo qual peço desculpa”.

Um dos seus rivais na corrida às eleições de outubro, o líder do terceiro partido mais forte do Canadá, o Novo Partido Democrata (NPD), Jagmeet Singh, é de origem sikh e usa turbante. Singh é o primeiro membro de uma minoria a liderar um dos principais partidos e declarou que o comportamento de Trudeau é um insulto a muitos canadianos.

"O que representa é troçar de alguém pela sua vida e pelas suas experiências. Acho que tem de ser responsabilizado pelas suas ações", afirmou. “O racismo é real", acrescentou o líder social-democrata. “As pessoas nesta sala já o sentiram, já ouviram esta história. Eu vivi-o na minha vida”.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.