Escolha as suas informações

Primeira-ministra Jacinda Ardern com maioria absoluta à vista na Nova Zelândia
Mundo 17.10.2020

Primeira-ministra Jacinda Ardern com maioria absoluta à vista na Nova Zelândia

Primeira-ministra Jacinda Ardern com maioria absoluta à vista na Nova Zelândia

AFP
Mundo 17.10.2020

Primeira-ministra Jacinda Ardern com maioria absoluta à vista na Nova Zelândia

Lusa
Lusa
Ardern, elogiada em todo o mundo pela sua gestão da pandemia de covid-19, se for eleita terá de liderar a recuperação económica da Nova Zelândia.

O Partido Trabalhista da primeira-ministra da Nova Zelândia Jacinda Ardern poderá alcançar uma maioria absoluta nas eleições legislativas deste sábado, segundo as projeções de resultados quando estavam contados cerca de 20% dos votos.

De acordo com a Comissão Eleitoral neozelandesa, Jacinda Arden, 40 anos, poderá assegurar um segundo mandato com 50,3% dos votos, que lhe garantiriam a eleição de 65 dos 120 deputados ao Parlamento.

O Partido Nacional, da oposição, liderado pela conservadora Judith Collins e que mudou de líder três vezes este ano, tinha 29,9% dos votos, o que se traduz em 34 lugares, de acordo com os dados da Comissão Eleitoral, citados pela agência EFE.


Jacinda Ardern, primeira ministra neozelandesa.
Votação da personalidade internacional do ano: Jacinda Harden. Como calar o ódio (35% dos votos)
Ao recusar dar protagonismo aos atacantes de um massacre numa mesquita neozelandesa, a primeira-ministra do país ofereceu uma alternativa ao mundo: responder à intolerância com compaixão.

Se o Partido Trabalhista não conseguir uma maioria absoluta, poderá contar com o apoio do Partido Verde, seu aliado tradicional e com o qual formou uma coligação governamental em 2017, juntamente com a formação nacionalista New Zealand First (NZF).

A Comissão Eleitoral antecipou também que os Verdes obteriam 8% dos votos e o partido minoritário ACT 7,7%, um resultado que lhe permitiria ocupar dez lugares cada um no Parlamento.

Ardern, elogiada em todo o mundo pela sua gestão da pandemia de covid-19, terá de liderar a recuperação económica da Nova Zelândia, que hoje também realizou dois referendos para decidir sobre a legalização da marijuana recreativa e a eutanásia voluntária.

Com 4,8 milhões de habitantes, o país da Oceânia tem o registo de 25 mortos provocados pela covid-19 em pouco mais de 1.800 casos de infeção, segundo dados da universidade norte-americana Johns Hopkins.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Britânicos vão às urnas a pensar no Brexit
São 46 milhões os eleitores que esta quinta-feira estão chamados a votar nas eleições legislativas britânicas antecipadas que podem ser decisivas para a saída do Reino Unido da União Europeia.