Escolha as suas informações

"Presidente instável". Nancy Pelosi pede a generais que tirem códigos nucleares a Trump
Mundo 08.01.2021 Do nosso arquivo online

"Presidente instável". Nancy Pelosi pede a generais que tirem códigos nucleares a Trump

"Presidente instável". Nancy Pelosi pede a generais que tirem códigos nucleares a Trump

AFP
Mundo 08.01.2021 Do nosso arquivo online

"Presidente instável". Nancy Pelosi pede a generais que tirem códigos nucleares a Trump

A líder democrata da Câmara de Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, disse hoje que falou com chefias militares para tentar evitar que Donald Trump use códigos de armas nucleares

Nancy Pelosi considera que Trump é um "Presidente instável" e não tem condições para exercer funções, pelo que está apreensiva relativamente ao seu acesso a códigos de armas nucleares.

"Esta manhã falei com o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, Mark Milley, para discutir as precauções disponíveis para evitar que um Presidente instável inicie hostilidades militares ou tenha acesso a códigos de lançamento e ordene um ataque nuclear", escreveu a líder democrata numa carta que enviou aos seus colegas parlamentares.


EUA. Trump anuncia que não assistirá à tomada de posse de Biden
O presidente cessante declarou hoje que não comparecerá a 20 de janeiro à cerimónia, quebrando uma tradição protocolar.

"A situação com este Presidente desequilibrado não poderia ser mais perigosa", acrescentou Pelosi, prometendo que o Congresso agirá se Donald Trump não sair da Casa Branca "iminente e voluntariamente", sem especificar a natureza dessa ação, mas admitindo-se que a iniciativa passe por um novo processo de destituição.

Pelosi, bem como o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer, já na quinta-feira tinham anunciado que iriam pedir ao vice-Presidente, Mike Pence, para invocar a 25.ª emenda da Constituição, que permite retirar poderes ao Presidente por incapacidade de exercício de funções.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Em caso de uma hospitalização ou de um agravamento do estado de saúde do chefe de Estado, a Constituição norte-americana prevê que o vice-presidente assuma os comandas da Casa Branca. Para já, a equipa médica de Donald Trump afasta a hipótese.