Escolha as suas informações

Presidente do Kosovo acusado de crimes de guerra e contra a humanidade
Mundo 2 min. 25.06.2020

Presidente do Kosovo acusado de crimes de guerra e contra a humanidade

Presidente do Kosovo acusado de crimes de guerra e contra a humanidade

Foto: AFP
Mundo 2 min. 25.06.2020

Presidente do Kosovo acusado de crimes de guerra e contra a humanidade

Os crimes, onde se incluem cerca de 100 homicídios, terão sido alegadamente cometidos pelo grupo guerrilheiro que Hashim Thaci chefiou durante o conflito contra a Sérvia, no final dos anos 90.

O Procurador do Tribunal Especial para o Kosovo acusou esta quarta-feira, 24 de junho, o atual presidente do país, Hashim Thaci , de crimes de guerra e contra a humanidade.  

Os crimes terão sido alegadamente cometidos durante o conflito contra a Sérvia no final dos anos 90, quando o governante era chefe do grupo guerrilheiro pró-independência do Kosovo, refere a AFP.

 Hashim Thaci é acusado de "assassinato, desaparecimento forçado de pessoas, perseguição e tortura", afirmou o tribunal de Haia. As acusações de que é alvo estão a ser examinadas por outro juiz para apurar se se confirmam, um procedimento que poderá conduzir a uma acusação formal contra o presidente do país, eleito em 2016.

Segundo adianta a AFP, que cita o gabinete do chefe de Estado kosovar, Thaci "interrompeu" a viagem que tinha marcada para Washington, nos EUA, para participar numa cimeira com os representantes políticos da Sérvia, no próximo sábado. 

O enviado norte-americano Richard Grenell afirmou que "as conversações de sábado" na Casa Branca, que visam relançar o diálogo de paz congelado desde finais de 2018, foram mantidas, mas realizar-se-ão agora entre o Presidente sérvio Aleksandar Vucic e o primeiro-ministro kosovar Avdullah Hoti. 

Criado em 2015, o Tribunal Especial para o Kosovo é responsável pela investigação de alegados crimes cometidos pela guerrilha kosovar albanesa pró-independência (UCK), principalmente contra sérvios, ciganos e opositores albaneses da guerrilha durante e após o conflito de 1998-99. 

Uma centena de homicídios

 Hashim Thaci enfrenta dez acusações formalizadas a 24 de abril e tornadas públicas na quarta-feira. As acusações atingem também Kadri Veseli, o antigo chefe dos serviços secretos da guerrilha e actual líder do Partido Democrático do Kosovo (PDK), e outros antigos elementos do grupo. 

De acordo com a acusação, "Hashim Thaci, Kadri Veseli e os outros suspeitos acusados são criminalmente responsáveis por quase 100 homicídios". 

Veseli já veio a público rejeitar as acusações, tendo afirmado à imprensa que "a acusação do procurador é mais uma tentativa de reescrever a História", afirmou, acrescentando que se trata de motivos "políticos". 

Para Hysni Gucati, presidente da Associação dos Veteranos do Kosovo, o tribunal "cometeu um erro" ao tornar pública a acusação imediatamente antes da cimeira de Washington. 

No entanto,  o anúncio poderá estar ligado a esta reunião, uma vez que "a dissolução do tribunal especial poderia estar na mesa das negociações", afirmou Vigan Corolli, professor de direito na Universidade de Pristina, capital do Kosovo. 

Já os Estados Unidos, consideram o processo um "passo em direcção à justiça e à reconciliação". "Este anúncio é essencial para promover o Estado de direito e a justiça para as vítimas no Kosovo e para permitir ao país virar a página desse terrível período e aderir à comunidade euro-atlântica", afirmou um porta-voz da diplomacia norte-americana.