Escolha as suas informações

Presidente do Brasil recebe prémio de personalidade do ano nos EUA

Presidente do Brasil recebe prémio de personalidade do ano nos EUA

Foto: AFP
Mundo 2 min. 17.05.2019

Presidente do Brasil recebe prémio de personalidade do ano nos EUA

O evento estava inicialmente previsto para Nova Iorque, mas vários protestos contra o Presidente brasileiro levaram Bolsonaro a cancelar a deslocação à cidade.

O Presidente do Brasil recebeu na quinta-feira o prémio de personalidade do ano, concedido pela Câmara de Comércio Brasileira-Americana no estado do Texas, em Dallas, o que levou Jair Bolsonaro a reformular o seu 'slogan' de campanha. "Brasil e Estados Unidos acima de tudo. Brasil acima de todos”, afirmou Bolsonaro, no discurso de agradecimento, citado pela imprensa brasileira.

Ao receber a distinção na cidade norte-americana de Dallas, o chefe de Estado brasileiro adaptou o 'slogan' original de campanha, "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos". Bolsonaro declarou-se honrado com a homenagem, que já tinha sido concedida anteriormente aos atuais governador do estado brasileiro de São Paulo, João Doria, e ministro da Justiça, Sergio Moro.

"Estou muito honrado. (...) Como brinquei com João Doria e Sergio Moro, os últimos homenageados aqui, o nível dos agraciados está a melhorar", afirmou. O Presidente reforçou ainda a vontade de firmar uma aliança com os EUA. "O Brasil de hoje é amigo dos Estados Unidos, respeita os Estados Unidos, e quer o povo americano e os empresários americanos ao nosso lado", acrescentou.

O evento, que contou com a presença de cerca de 100 empresários, estava inicialmente previsto para Nova Iorque, mas vários protestos contra o Presidente brasileiro levaram Bolsonaro a cancelar a deslocação à cidade. "Lamento muito o ocorrido nos últimos dias. Eu não posso ir na casa de uma pessoa onde alguém da sua família não me quer bem, mas o meu amor por todo os Estados Unidos, inclusive pelos nova-iorquinos, continuará da mesma forma", afirmou, no almoço em sua homenagem.

Uma petição lançada pelo senador democrata do estado de Nova Iorque, Brad Hoylman, para tentar que o hotel Marriott Marquis, no bairro da Times Square, se recusasse a acolher a cerimónia, reuniu mais de 53 mil assinaturas. Também o presidente da câmara de Nova Iorque e pré-candidato à Presidência dos Estados Unidos, Bill de Blasio, criticou o chefe de Estado brasileiro, sobre o qual afirmou que defende uma "ideologia destrutiva" e não era bem-vindo na cidade.

"Viemos para o estado certo [Texas], com todo o respeito por Nova Iorque. Deixo claro que não fui a Nova Iorque porque o prefeito, que agiu como um garoto (...), resolveu tomar a dianteira para fazer manifestações contra a minha pessoa. Eu sei que ele não manda na cidade, mas eu não ia numa cidade onde um prefeito estivesse a organizar uma manifestação contra mim, e a falar que eu sou homofóbico, racista e fascista. É para rir", declarou Bolsonaro, numa transmissão em direto rede social Facebook, a partir de Dallas, na quinta-feira.

Anualmente, a Câmara Brasileira-Americana de Comércio atribui um prémio a uma personalidade brasileira e a uma norte-americana.

Lusa


Notícias relacionadas