Escolha as suas informações

Presidenciais francesas: Urnas abrem para a primeira volta das presidenciais

Presidenciais francesas: Urnas abrem para a primeira volta das presidenciais

Foto: AFP
Mundo 23.04.2017

Presidenciais francesas: Urnas abrem para a primeira volta das presidenciais

As mesas eleitorais abriram hoje em França, às 08:00, para a primeira volta das eleições presidenciais, em que mais de 45 milhões de eleitores escolhem os dois candidatos que passam à segunda volta.

As mesas eleitorais abriram hoje em França, às 08:00, para a primeira volta das eleições presidenciais, em que mais de 45 milhões de eleitores escolhem os dois candidatos que passam à segunda volta.

Há 11 candidatos, mas Emmanuel Macron (centro), Marine Le Pen (extrema-direita), François Fillon (direita) e Jean-Luc Mélenchon (esquerda) são os favoritos para passar à segunda votação, a 07 de maio.

As sondagens mais recentes publicadas sobre as presidenciais francesas, divulgadas na sexta-feira, colocam Emmanuel Macron (centro) à frente de Marine Le Pen (extrema-direita), com 24% e 22% respetivamente, e Jean-Luc Mélenchon (esquerda) e François Fillon (direita) empatados com 19%.

Emmanuel Macron lançou-se na corrida presidencial francesa projetando a imagem de um político novo e descomprometido, “nem de direita nem de esquerda”, e tornou-se no favorito para derrotar a candidata da extrema-direita.

Macron, 39 anos, nunca foi eleito e demitiu-se do cargo de ministro da Economia (2014-2016) do governo do Presidente François Hollande para apresentar a candidatura.

Noutras sondagens é a líder da extrema-direita francesa, Marine Le Pen, a aparecer no topo da lista. O partido de Le Pen, a Frente Nacional, foi o mais votado nas europeias de 2014 e nas regionais de 2015, com 25% e 28%.

Por outro lado, as sondagens também indicam de forma consistente que Le Pen, de 48 anos, até pode ganhar a primeira volta, mas perde na segunda.

Na sondagem do instituto Ipsos para a rádio France Info, a seguir aos quatro primeiros (Macron, Le Pen, Mélenchon e Fillon) surge o socialista Benoît Hamon, com 7,5% das intenções de voto. Os outros seis candidatos – Philippe Poutou, Nicolas Dupont-Aignan, Nathalie Arthaud, Jean Lassalle, François Asselineau e Jacques Cheminade - obtiveram percentagens abaixo dos cinco pontos.

As presidenciais francesas - vistas atualmente como um indicador do populismo na Europa e no Mundo - ficam também marcadas pelo terrorismo islâmico. Em França vive a a maior comunidade muçulmana na UE.

Após dois anos de ataques terroristas (que causaram a morte de mais de duas centenas de pessoas), na quinta-feira um polícia em Paris foi morto a tiro num atentado reivindicado pelo grupo 'jihadista' Estado Islâmico.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

EDITORIAL: Venha o diabo e escolha
Nunca se viveu uma campanha eleitoral como esta para a eleição do Presidente da República francês. França parece estar a desbipolarizar-se para se dividir em quatro.
(LtoR) French presidential election candidates, right-wing Les Republicains (LR) party Francois Fillon, En Marche ! movement Emmanuel Macron, far-left coalition La France insoumise Jean-Luc Melenchon, far-right Front National (FN) party Marine Le Pen, and left-wing French Socialist (PS) party Benoit Hamon, pose before a debate organised by the French private TV channel TF1 on March 20, 2017 in Aubervilliers, outside Paris.       / AFP PHOTO / POOL AND AFP PHOTO / Patrick KOVARIK