Escolha as suas informações

Príncipe André chamado a testemunhar no caso de abusos sexuais de Jeffrey Epstein
Mundo 3 min. 09.06.2020

Príncipe André chamado a testemunhar no caso de abusos sexuais de Jeffrey Epstein

Príncipe André chamado a testemunhar no caso de abusos sexuais de Jeffrey Epstein

AFP
Mundo 3 min. 09.06.2020

Príncipe André chamado a testemunhar no caso de abusos sexuais de Jeffrey Epstein

Ana B. Carvalho
Ana B. Carvalho
Em janeiro deste ano o procurador norte-americano responsável pela investigação de Epstein, Geoffrey Berman, criticou o Príncipe que terá prestado "cooperação zero" aos investigadores.

As autoridades norte-americanas solicitaram que o Príncipe André, Duque de York, testemunhasse sobre a sua relação com o agressor sexual Jeffrey Epstein, informou o Sun, citado pela BBC. 

Jonny Dymond, correspondente real da BBC,  afirmou que a cadeia de notícias tinha confirmado os relatórios de que as autoridades norte-americanas tinham apresentado um pedido de assistência jurídica mútua (MLA) ao ministério da Administração Interna, informação não confirmada pelo ministério ou pelo Departamento de Justiça dos EUA.


Príncipe André nega envolvimento em escândalo sexual depois de ser apanhado na mansão de Epstein
O príncipe diz estar "chocado" com as alegações. No entanto, não é a primeira vez que é acusado.

Nos termos de um pedido de MLA, se o Príncipe André não responder voluntariamente, pode ser chamado a um tribunal britânico para responder às possíveis questões que surjam. O correspondente disse que a equipa jurídica do duque "estava amargamente descontente com a fuga do pedido", tendo uma fonte descrito o pedido como "uma quebra extraordinária de confidencialidade".  

Espera-se mais tarde uma declaração completa com pormenores sobre a cooperação do Príncipe André com as autoridades jurídicas dos EUA. Segundo a BBC, os pedidos do MLA apresentados por outros Estados são utilizados para obter assistência numa investigação ou procedimento penal, geralmente quando a cooperação não pode ser obtida pelos serviços responsáveis pela aplicação da lei. De acordo com as orientações do ministério da Administração Interna, é "política habitual" que a existência de um pedido não seja confirmada nem negada.

Príncipe André e Jeffrey Epstein 

O Príncipe, que disse na sua entrevista à BBC Newsnight, em novembro de 2019, ter conhecido o norte-americano em 1999, através da antiga namorada de Epstein, Ghislaine Maxwell, afirmou anteriormente não ter testemunhado qualquer comportamento suspeito durante as visitas às casas de Epstein.


Príncipe André abandona a vida pública e as funções reais
O duque de York não vai mais desempenhar as suas obrigações como filho da rainha. Esta é a maior crise real da últimas duas décadas.

Andrew afastou-se das funções reais no ano passado, na sequência de uma entrevista à BBC amplamente criticada sobre a sua relação com Epstein, que se suicidou numa cela da prisão norte-americana em Agosto de 2019, com 66 anos, enquanto aguardava julgamento por tráfico sexual e acusações de conspiração.

Segundo o The Guardian, Maxwell, "a filha socialite do desonrado barão da imprensa Robert Maxwell, foi acusada por várias mulheres de ser cúmplice de Epstein no tráfico e abuso sexual e, em alguns casos, de participar neles".  Maxwell negou todas as acusações contra ela.

Embora não se conteste que o Príncipe Andrew se tenha encontrado com Epstein através de Maxwell, várias pessoas sugeriram que estes se conheciam e  encontravam-se antes de 1999. Uma carta de Alastair Watson, então secretário particular do príncipe, ao Times of London, em 2011, sugere que a dupla se conhecia desde o início dos anos 90.


Alegada vítima do príncipe André. "O suor dele era tanto, como se estivesse a chover"
Virginia Roberts Giuffre deu uma entrevista à BBC na passada segunda-feira, 2, e pediu ajuda aos britânicos que a apoiem neste processo. "Isto não é uma história sexual sórdida. Isto é uma história sobre tráfico humano".

Na sua entrevista ao programa Newsnight da BBC, em Novembro de 2019, o André afirmou não lamentar a sua amizade com Epstein, apesar de o financiador ter sido condenado por ter solicitado uma menor para a prostituição em 2008.

Segundo o The Guardian, André também negou ter relações sexuais com Virginia Giuffre, quando ela era adolescente, que disse ter sido traficada por Epstein quando tinha 17 anos. Pouco depois da entrevista ter sido transmitida, o Príncipe disse estar "disposto a ajudar qualquer agência de aplicação da lei apropriada". No entanto, em janeiro deste ano, procurador norte-americano responsável pela investigação de Epstein, Geoffrey Berman, criticou o Príncipe que terá prestado "cooperação zero" aos investigadores.

A dezembro de 2019, o jornal Sun revelou fotografias da festa de 18º aniversário de Beatrice, a filha mais velha do duque de York, que decorreu em 2006, no Castelo de Windsor. 


Príncipe André, Epstein e Weinstein juntos no Castelo de Windsor
Em 2006, Harvey Weinstein, Jeffrey Epstein e a namorada Ghislaine Maxwell foram convidados da festa de aniversário de 18 anos da princesa Beatrice.

Na lista de convidados, nada mais nada menos que dois dos maiores predadores sexuais norte-americanos, Harvey Weinstein e Jeffrey Epstein, acompanhado da namorada Ghislaine Maxwell. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Caso Epstein. Ghislaine Maxwell detida pelo FBI
A socialite inglesa, que muitas vítimas de Jeffrey Epstein acusam de participar nos esquemas de tráfico sexual do magnata, foi detida esta quinta-feira em New Hampshire, na costa leste dos Estados Unidos.
"Nunca vi algo tão desastroso". As reações à entrevista do príncipe André
Na entrevista ao programa BBC NewsNight, o príncipe André negou qualquer envolvimento com Virginia Roberts-Guiffre, uma das vítimas do escândalo sexual que envolve Jeffrey Epstein. No entanto, as respostas pouco coerentes não convenceram a opinião pública e a imagem da família real pode ter saído prejudicada após o encontro.