Escolha as suas informações

Possível governo de coligação entre PSOE e o Podemos ganha força em Espanha

Possível governo de coligação entre PSOE e o Podemos ganha força em Espanha

Foto: AFP
Mundo 2 min. 24.05.2019

Possível governo de coligação entre PSOE e o Podemos ganha força em Espanha

Vários dirigentes do PSOE só põem essa hipótese em cima da mesa se for imprescindível para a estabilidade "contra a ofensiva da direita".

De acordo com o jornal espanhol El País, a complexa geometria parlamentar saída das últimas eleições legislativas e a pouca abertura do Ciudadanos para negociar estão a empurrar Pedro Sánchez para uma solução que rejeitou várias vezes nos últimos tempos: um possível governo de coligação entre o PSOE e o Podemos. 

Diz o jornal espanhol que a relação entre os dois partidos está no seu melhor momento. Depois do pacto alcançado para a presidência da mesa do Congresso dos Deputados, os dois estão a ponto de fechar as negociações para apresentar um governo de coligação na Comunidade Valenciana. No próximo domingo 26 e maio, para além das eleições europeias, realizam-se também eleições municipais e autónomas em Espanha que podem exigir entendimentos para estabelecer maiorias estáveis nas autarquias e governos regionais. O encontro realizado entre Pedro Sánchez e Albert Rivera, presidente do Ciudadanos, foi um balde de água fria para o PSOE que entende agora ser impossível qualquer ajuda deste partido.

As fontes consultadas pelo El País afirmam que não vai haver negociações até domingo, dia de eleições. Só depois se saberá a força de cada partido a nível local e regional. O PSOE mantém, contudo, a vontade de formar um governo solitário com o apoio da esquerda, tal como acontece em Portugal. embora a insistência do Podemos e a necessidade de ter um bloco estável de apoios no parlamento comece a fazer ceder Pedro Sánchez. Nesse sentido, já se preparam opções e estudam-se modelos de coligações noutros países e autonomias e de que forma se podem distribuir pastas ministeriais.

Numa entrevista publicada recentemente pelo eldiario.es, o secretário-geral do Podemos, Pablo Iglesias, destacou que prefere um governo de coligação do que um pacto para toda a legislatura porque "asseguraria mais estabilidade parlamentar". O líder do partido entende que seria uma garantia de "maior proteção dos direitos sociais e uma implementação de políticas públicas na direção da justiça social". Ao site espanhol, não descartou mesmo a possibilidade de fazer ele próprio parte do futuro governo e ocupar o cargo de vice-presidente. "Qualquer pessoa que se apresente às eleições como candidato aspira a governar. Alguém que não tivesse essa vocação de participar num governo creio que não deve ser candidato", afirmou.

Os dirigentes do Podemos tentam convencer os seus aliados de que repetir a coligação que venham a fazer nos municípios e nas regiões pode vir a ser uma referência para a esquerda europeia. O certo é que vários dirigentes do PSOE contactados pelo El País só põem essa hipótese em cima da mesa se for imprescindível para a estabilidade "contra a ofensiva da direita".

Bruno Amaral de Carvalho


Notícias relacionadas

O herdeiro de Aznar ganha o Partido Popular à herdeira de Rajoy
Pablo Casado ganhou a liderança do Partido Popular com um discurso muito mais à direita do que a vice-presidente do último governo do PP, Soraya Sáenz de Santamaría. O antigo chefe de gabinete de José María Aznar pretende o rearmamento ideológico do partido para conseguir derrotar os socialistas, mas sobretudo para evitar a erosão eleitoral para o Ciudadanos.
Pedro Sánchez é o novo primeiro-ministro de Espanha
O socialista Pedro Sánchez prestou hoje juramento como primeiro-ministro do Governo espanhol perante o rei, Felipe VI, tornando-se o sétimo chefe do executivo da democracia espanhola, depois do sucesso de uma moção de censura.
TOPSHOT - Spain's new Prime Minister Pedro Sanchez (L) shakes hands with outgoing premier Mariano Rajoy (R) next to Spain's King Felipe VI during a swearing-in ceremony at the Zarzuela Palace near Madrid on June 2, 2018.
Spain's Socialist chief Pedro Sanchez was sworn in as prime minister, a day after ousting Mariano Rajoy in a historic no-confidence vote sparked by fury over corruption woes afflicting the conservative leader's party. / AFP PHOTO / POOL / Fernando Alvarado