Escolha as suas informações

Português morto em violento assalto em Joanesburgo, compatriota em estado crítico
Mundo 16.05.2022
África do Sul

Português morto em violento assalto em Joanesburgo, compatriota em estado crítico

Imagem ilustrativa.
África do Sul

Português morto em violento assalto em Joanesburgo, compatriota em estado crítico

Imagem ilustrativa.
Foto: AFP
Mundo 16.05.2022
África do Sul

Português morto em violento assalto em Joanesburgo, compatriota em estado crítico

Lusa
Lusa
Fonte próxima da família das vítimas referiu que o assalto aconteceu no bairro português de Primrose, leste de Joanesburgo, quando quatro assaltantes armados irromperam pelo estabelecimento comercial de Gilberto Abreu, baleado mortalmente com quatro tiros.

O proprietário português de um estabelecimento comercial no leste de Joanesburgo foi baleado mortalmente durante um violento assalto à mão armada no leste de Joanesburgo, que provocou ferimentos graves num segundo compatriota.

Fonte próxima da família das vítimas referiu á Lusa que o incidente ocorreu cerca das 18:00 locais de sábado, no bairro português de Primrose, leste de Joanesburgo, quando quatro assaltantes armados irromperam pelo estabelecimento comercial de Gilberto Abreu, baleado mortalmente com quatro tiros.

Gilberto Abreu era um proeminente colaborador da coletividade local, Luso África, declarou.

Clube Luso África tem sido assaltado “praticamente todos os meses”  

A segunda vítima, também de nacionalidade portuguesa, Mário Tavares, que se encontrava no estabelecimento no momento do assalto, encontra-se hospitalizado com ferimentos graves nos cuidados intensivos do Union Hospital, em Alberton, após ter sido baleado também com quatro tiros, explicou a mesma fonte.  

“Ele levou quatro tiros, três no estômago e um no peito, estando com os pulmões, os intestinos e o cólon danificados, em condição crítica nos cuidados intensivos”, adiantou a fonte próxima da família.

O incidente comoveu o clube português Luso África, em Primrose, que tem sido assaltado “praticamente todos os meses”, referiu fonte da coletividade portuguesa à Lusa.

De acordo com a mesa fonte, o problema da criminalidade “atinge o clube e toda área residencial envolvente devido à proliferação de aldeamentos informais”.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas